quarta-feira, 31 de março de 2010

"Num lado se põe o ramo, noutro se vende o vinho"

Desenvolvimento da notícia:
"Um cônsul honorário de Portugal terá recebido um suborno de 1,6 milhões de euros da Man Ferrostaal para ajudar a concretizar a compra de dois submarinos pelo Estado português em 2004, avança a edição online da revista Der Spiegel.
O Estado português contratualizou com o consórcio alemão German Submarine Consortium (que integra a Man Ferrostaal) a compra de dois submarinos U-214 em 2004, quando Durão Barroso era primeiro ministro e Paulo Portas ministro da Defesa.
De acordo com a revista alemã, a suspeita de corrupção contra a Ferrostaal, que atualmente é alvo de várias investigações na Alemanha, "é maior do que se pensava", visto que a empresa terá "não apenas pago, ela própria, luvas durante anos, mas também ajudado outras empresas a organizar este tipo de pagamentos".
No centro do escândalo de corrupção, realça a revista, "está a entrega de dois submarinos a Portugal", lembrando que o German Submarine Consortium ganhou em novembro de 2003 o contrato no valor de 880 milhões de euros referentes à entrega de dois submarinos Tridente.
A revista avança que nos autos de investigação realizados pelas autoridades alemãs é referido que "um cônsul honorário português ajudou a concretizar o negócio" e terá alegadamente "recebido 1,6 milhões de euros em luvas pela sua ajuda".
De acordo com a Der Spiegel, o diplomata, cujo nome não é referido, terá também organizado, no verão de 2002, uma "reunião entre a administração da Ferrostaal e o antigo primeiro-ministro português José Manuel Durão Barroso", atual presidente da Comissão Europeia."
__________
E, visto isto, acrescento eu: querem lá ver que, como diz o ditado, "num lado se põe o ramo, noutro se vende o vinho"?
(Imagem daqui)

terça-feira, 30 de março de 2010

"Quem não tem cão, caça com gato"

Encontrando-se José Pedro Aguiar-Branco a gozar férias fora do país, caberá a  Agostinho Branquinho liderar a bancada do PSD no debate quinzenal que se realiza amanhã no Parlamento. Pelos vistos, por ora, Pedro Passos Coelho, "cão" não tem.

"Ir para fora cá dentro" (III)


 (Avis - Vista geral)
O Alentejo, nesta altura, está lindo. Aproveite para confirmar, com uma visita a Avis. E dê uma saltada à praia na Barragem do Maranhão, ali mesmo ao pé. Não para tomar banho que a água ainda está fria, mas pode praticar canoagem. É o que por lá está a dar. Não faltam lá equipas estrangeiras em treinos da especialidade.
(Clicando na imagem, amplia)

segunda-feira, 29 de março de 2010

Semana da Paixão



Ária da "Paixão segundo São Mateus", de Johann Sebastian Bach.
(Via)

Novas imagens da Terra




E as mais detalhadas, segundo a NASA.

Tal e qual ...

No PSD é assim: "Primeiro o país, depois o partido". É tal e qual, como se vê, por aqui.

Belenenses: 0 - Porto: 3 (Quebrado o enguiço ?) (Vídeos - Golos)

Com o regresso de Hulk aos relvados, regresso assinalado com um belo golo da sua autoria, o FCPorto parece ter quebrado o enguiço dos últimos tempos marcados por maus resultados, com a vitória sobre o Belenenses, por um expressivo 3-0. Já vem tarde, ao que tudo indica, em termos de campeonato. Pior, porém, está o Belenenses que corre o sério risco de baixar de escalão.
Vejamos os golos que é o melhor que tem o futebol.
Vídeos:
Golo de Rolando

Golo de Hulk

Golo de Falcao

domingo, 28 de março de 2010

Louçã anda muito preocupado...

... com o que ganha o Presidente Obama. E daí talvez não, porque para termo de comparação até tinha bem melhor: os prémios de qualquer banqueiro americano. Pela certa, o que o preocupa é ganhar mais uns tantos votos, nem que seja à conta da inveja que sempre motiva a plebe.
É política rasteirinha? É, mas é o melhor que ele sabe fazer.

sábado, 27 de março de 2010

Mais um número redondo: 2000

Com este, atinge-se, dois anos ainda não volvidos, o número 2000 de "posts" publicados aqui no blogue que, por pouco que seja, tem servido para alguma coisa: "espantar" o tédio do autor. Que de tal fique o registo.

Benfica: 1 - Braga: 0 (Golo - Vídeo)

O Benfica, ao derrotar o Braga, no estádio da Luz, por 1-0, num jogo muito disputado e aberto, sobretudo na 2ª parte, deixou o seu competidor mais directo a 6 pontos e pode começar a tratar da encomenda das faixas de campeão !

Vídeo:
Golo de Luisão (Benfica)

As "directas" do PSD e as surpresas

A vitória de Passos Coelho nas "directas" ontem realizadas para eleição do presidente do PSD não constitui, de per si, nenhuma surpresa, já que as sondagens, entretanto realizadas, por pouco credíveis que fossem, segundo os especialistas, já apontavam para esse resultado. As surpresas surgem quando se olha para os números, que traduzem uma vitória folgada: 61,06% para Passos Coelho, contra 34,47% para Paulo Rangel, 3,61% para José Pedro Aguiar-Branco e 0,23% para Castanheira Barros.
Ora, estes números significam que, não obstante a candidatura de Aguiar-Branco ter sido cilindrada pela bipolarização criada  à volta de Passos Coelho e Paulo Rangel, nem assim este conseguiu uma votação que pudesse ombrear com a do vencedor. Daí que se possa dizer que, dada a bipolarização, os grandes vencidos tenham sido Paulo Rangel e os "caceteiros" que o acompanhavam (J. Pacheco Pereira e V. Graça Moura, p.e) a par de pessoas estimáveis, como António Capucho. De facto, o candidato Castanheira Barros não contava e tanto assim que, no discurso de vitória, Passos Coelho nem a ele se referiu (o que não condiz muito com o perfil que dele traçam) e Aguiar Branco, dadas as circunstâncias, também já não podia alimentar grandes esperanças.
Recambiado para o Parlamento Europeu, o taumaturgo de verbo fácil (mas que, afinal, nem no interior do partido faz milagres) fica o PSD entregue a Passos Coelho e ele sim pode vir a constituir uma grande surpresa (boa ou má) porque, de facto, politicamente, Passos Coelho é uma melancia por abrir. Sabe-se que representa uma corrente mais liberal dentro do PSD e que é uma pessoa cortês, mas, como é óbvio, tais dados são insuficientes para lhe definir a estatura como político.
Natural é, pelas ideias que perfilha, que venha a ser uma má surpresa para Paulo Portas e para o CDS, que, com um PSD mais inclinado para a direita, poderão ver travada a ascensão verificada nos últimos tempos. Diria o contrário para Sócrates e o PS, mas muito dependerá de outros factores. Se Passos Coelho for capaz de traçar um rumo e de apresentar soluções alternativas credíveis, deixando para trás a política do "bota-abaixo" da direcção antecessora, tudo pode acontecer.
Como não sou futurólogo direi: veremos.

Pelourinhos : Trancoso


Pelourinho de Trancoso
(Para uma descrição pormenorizada, dê um salto até aqui)
(Clicando na imagem, amplia)

sexta-feira, 26 de março de 2010

Da cobardia política

Apesar do título pomposo, não espere o leitor um ensaio sobre o tema da cobardia que, para tanto, me falta talento e pachorra. Trago aqui uma simples constatação de factos:
1. A direita portuguesa (alavancada pela comunicação social que ela domina, na quase totalidade, embora nos queiram fazer crer o contrário) de par (em tom mais moderado) com a esquerda dos amanhãs que cantam (PCP)  e com a esquerda caviar (BE)  proclama que a credibilidade do primeiro-ministro desceu a um nível insuportável e indesejável. O tema é, agora, glosado, em diversos registos, a propósito das escutas no caso "Face Oculta", mas é recorrente, como se viu ao longo da última legislatura e durante a última campanha eleitoral, onde, para fazer o contraponto, a líder do maior partido da direita, se apresentou, "modestamente" como dona da "Verdade". Sem grande proveito, como é sabido.
2. O PS já manifestou, a várias vozes, que José Sócrates não é descartável e que o partido nem sequer considera como mera hipótese a sugestão vinda da direita no sentido da demissão do primeiro ministro. Outra coisa não era, aliás, de esperar, por todas as razões e mais uma, a começar pelo facto de que provas não há. Espanta até que alguém se tivesse lembrado de uma ideia tão peregrina.
Perante estes factos, se as alegações sobre a credibilidade do primeiro-ministro são para ser levadas a sério, a coligação negativa formada na Assembleia da República pelo PSD, CDS, PCP e BE (em condições de se transformar em nova maioria, pela via do "compromisso histórico" à moda do "capo" madeirense) só não avançará com a moção de censura para derrubar o Governo, por pura cobardia.
Digo cobardia, porque não tirar as consequências de tão grave acusação, só pode ficar a dever-se a medo, pois, num caso destes, não valem considerações de mera oportunidade, como as avançadas, há tempos, pelo Professor Marcelo, numa das suas (agora saudosas) prédicas dominicais. Que, de resto, não colhem, pois, estando em causa a credibilidade, esta tão relevante seria a nível interno, como externo, plano este que serve de argumento ao Professor para defender a manutenção do Governo. Se bem compreendo a prédica, tal significa que, no entender de Marcelo, a imagem do primeiro-ministro, pelo menos no exterior,  não está afectada, pesem embora os esforços da triste figura de Paulo Rangel a pregar para as moscas no Parlamento Europeu.
Nem no exterior, nem no interior, acrescento eu, a julgar pelos resultados da  última sondagem conhecida. Se as oposições entendem o contrário e quiserem ser levadas a sério, deverão proceder em conformidade, que para isso têm o pão e o queijo na mão. Esta não pode servir só para atirar pedras. A sua credibilidade passa por aqui.

"À espera de Godot"

Ao que parece, o que os militantes do PSD, que hoje irão a votos para eleger o próximo presidente do partido, vão escolher não é o dirigente que melhor sirva os interesses do país, mas sim  o candidato que derrote o PS.
Sendo assim, atrever-me-ia a sugerir que esperassem sentados, porque, para além de se me afigurar que a motivação não é a mais nobre, também não me parece que os dois candidatos melhor posicionados, segundo as sondagens que se conhecem, tenham o perfil para atingir tal desiderato.
Passos Coelho, com as suas ideias liberais de redução do Estado social ao Estado mínimo, surge em contra-ciclo, num momento em que é mais necessária a intervenção do Estado  na protecção dos mais desfavorecidos. A Rangel, bom no uso da palavra para atacar e destruir, faltam as ideias para construir. Essa receita (atacar, sem apresentar soluções alternativas) foi a estratégia seguida por Manuela Ferreira Leite enquanto dirigente do PSD e, designadamente, durante a última campanha eleitoral. Com os resultados que se conhecem. A experiência colhida pela "madrinha" Ferreira Leite deveria ter-lhe servido de lição, mas, pelos vistos, nem isso.  

O "i" de inviável

Muito se especulou sobre o significado do "i", nome dado ao jornal do Gupo Lena, nas bancas há menos de um ano. Afinal, ao contrário do inicialmente suposto, o "i" significa inviável. Não só o Grupo Lena se quer desfazer dele, como, ao que parece, não há quem o queira.

Só visto !


George W. Bush, ex-presidente dos EUA, a limpar as mãos à camisa de Bill Clinton, após cumprimentar vítimas do terramoto do Haiti. (Só visto, porque contado não se acredita)

quinta-feira, 25 de março de 2010

O PEC e o estado de necessidade

Com o voto favorável do PS, mais ou menos resignado, e abstenção do PSD, contra a vontade de grande parte dos seus deputados, mas imposta pela ainda líder, Manuela Ferreira Leite, a resolução sobre o PEC acabou por ser aprovada pela Assembleia da República.
Não vou negar a importância da resolução, porque, para já, terá o efeito de acalmar as agências de rating e os mercados financeiros internacionais, com imediato reflexo no não agravamento das condições de financiamento ao Estado, às empresas e  aos particulares e, por certo,  terá sido esta consideração que pesou na tomada de posição por parte de Ferreira Leite, mais do que qualquer alteração acordada de última hora.
Todavia, a sua aprovação  não representa o fim dos problemas. Desde logo, porque o PEC não passa de uma carta de intenções que o Governo tentará levar à prática, mas cuja concretização depende de medidas que terão de passar, muitas delas, pela Assembleia da República, estando essa passagem muito longe de estar assegurada, sabido como é que, para além dos partidos que agora votaram contra a resolução, também no PSD existe forte resistência contra ás medidas do PEC e o mesmo se pode dizer de alguns sectores do próprio Partido Socialista.
Diria até que o PEC não agrada a ninguém, incluindo o próprio Governo, pois o PEC surge por força das regras do Pacto de Estabilidade imposto de Bruxelas e as medidas nele contempladas suponho que não foram concebidas em função duma opção inteiramente livre do Governo, mas muito em função de serem ou não do agrado de Bruxelas e das agências internacionais. Suposição que se conforta com a aprovação a este PEC, manifestada quer pela Comissão Europeia, quer pelos organismos internacionais, como a OCDE e  o FMI. As opções do Governo justificam-se, pois, não pela bondade intrínseca das medidas (que não vou discutir) mas pela existência de um verdadeiro estado de necessidade. Por isso, não duvido, que nas actuais circunstâncias, a liberdade deste Governo, ou de qualquer outro que viesse (ou venha a seguir) não terá muito espaço para se exprimir. O futuro o dirá.
E, digam o que disserem as oposições, o estado de necessidade tem a sua origem no "abalozito de terra" da Drª Leite, abalozito que  é mais vulgarmente conhecido pela designação de maior crise económica internacional das últimas décadas. E, senão, compare-se o défice das contas públicas em 2008 (2,6%)  com o de 2009 (9,3%).

Má sorte, ser incorruptível...

A condenação do advogado Ricardo Sá Fernandes pelo Tribunal de Braga a pagar uma multa de 3 000 euros, além de 10 000 euros de indemnização ao empresário Domingos Névoa por aquele ter apelidado este de "corruptor e vigarista" numa entrevista a um semanário em 2007, revela que algo não vai bem na justiça portuguesa.
Senão vejamos: em contraponto a esta decisão, Domingos Névoa foi condenado por um tribunal de Lisboa a pagar uma multa de 5 000 euros, na sequência de um processo por corrupção instaurado precisamente na sequência da denúncia por parte de Ricardo Sá Fernandes de uma tentativa de corrupção que tinha como alvo o seu irmão e vereador da Câmara de Lisboa, José Sá Fernandes e que envolvia o pagamento de 200 000 euros contra a desistência de processos contra a Bragaparques relativos a negócios de compra de terrenos celebrados com a Câmara de Lisboa, tentativa que fracassou porque foi recusada e justamente denunciada, quer pelo intermediário (o advogado ora condenado), quer pelo alvo.
Comparando as duas decisões judiciais, temos de convir que a balança da justiça tem os braços muito desequilibrados. De facto, até parece que, aos olhos da justiça, ou antes, desta justiça à moda de Braga,  má sorte é ser incorruptível e ser corruptor compensa.
(Imagem daqui)

quarta-feira, 24 de março de 2010

terça-feira, 23 de março de 2010

Um mau passo

Voltando atrás na decisão anteriormente anunciada de que não iria pedir qualquer audição na comissão de inquérito à actuação do Governo sobre a compra da TVI, (decisão já aqui comentada favoravelmente), o PS acabou por requerer a inquirição de Manuela Ferreira Leite.
Se bem que esta nova atitude possa ser entendida como uma espécie de retaliação pelo facto de o PSD ter decidido chamar o primeiro-ministro à comissão de inquérito, é, a meu ver, um mau passo, desde logo, porque continua de pé a justificação invocada para a tomada da primeira decisão que partia da consideração de que ao PS não lhe competia provar fosse o que fosse, justificação que continua válida. Depois não faz sentido a chamada à comissão de inquérito da Drª Leite, uma vez que a senhora está de saída da liderança do seu partido, sendo já politicamente irrelevante o confronto que possa vir a ter lugar durante a sua inquirição. Como é óbvio, outro galo cantaria se a senhora continuasse à frente do PSD. Nesse caso, sim, haveria interesse em inquiri-la para demonstrar, se fosse o caso, como julgo, a inanidade das suas acusações. Nas actuais circunstâncias, a sua inquirição não adianta nem atrasa e, pelo contrário, serve para prolongar a novela. Não me parece que isso seja do interesse do país, nem do PS.

Chover no molhado...

Continuaram hoje as audições na Comissão de Ética sobre a liberdade de informação. Indo a novela já longa, torna-se cada vez mais evidente, após a prestação dos depoimentos de Paulo Baldaia, director da TSF, de João Marcelino, director do Diário de Notícias e de Nuno Santos, director de programas da SIC, que estas audições sobre a falta de liberdade de informação e o propalado plano para controlar comunicação social por parte do Governo não passaram de mais um ataque da direita encabeçada por um PSD sem cabeça, tentando desgastar a credibilidade do primeiro-ministro. De facto, do depoimento de Paulo Baldaia conclui-se que "o exercício da liberdade de expressão em Portugal não está em causa", e que ele próprio, ao contrário do referido numa notícia do "Sol", nunca esteve para ir para a TVI (ida que foi apresentada como integrante do alegado plano de controlo da TVI). Por seu turno, João Marcelino afirmou não ter qualquer conhecimento sobre o alegado plano do Governo para controlar os meios de comunicação social, adiantando que "se existisse seria muito pouco inteligente numa democracia como a portuguesa", porque "todas as tentativas acabam sempre a descoberto" e confirmou que "se há coisa que não falta é liberdade de expressão em Portugal".  Para Nuno Santos, a conversa "casual" (é assim que a classifica) que manteve num restaurante com o primeiro-ministro sobre Mário Crespo (e que foi objecto de amplo alarido do próprio e da comunicação social) não pode ser considerada como pressão, afirmando não ter sido ele a contactar primeiro Mário Crespo por considerar que a conversa com o primeiro ministro "não tinha qualquer relevância". 
Estes depoimentos e os de Henrique Granadeiro, de Zeinal Bava, de Pereira Leite, director do Jornal de Notícias, do administrador da TVI e, de algum modo, até o de Balsemão, deixam a  Comissão de Ética de mãos vazias. Restam-lhe as palhaçadas do Crespo, as "crenças" do casal Guedes/Moniz, e as acusações de José Manuel Fernandes, aliás desmentidas pelo administrador da empresa proprietária do "Público".
E, não obstante, o PSD, neste caso acompanhado pelo BE, insiste na mesma tecla, ao propor a Comissão de Inquérito sobre o negócio PT/TVI.
Chama-se a isto "chover no molhado", porque é mais que evidente que a Comissão de Inquérito (que hoje mesmo iniciou os seus trabalhos) não vai chegar a qualquer conclusão no sentido desejado pelos seus promotores, pois, em grande parte, os inquiridos na Comissão de Inquérito e na Comissão de Ética são as mesmas pessoas. É verdade que os poderes da Comissão de Inquérito são mais amplos, podendo, designadamente, requisitar diversa documentação, designadamente à PT, mas não é crível que os administradores da PT tivessem feito, na Comissão de Ética, declarações que pudessem vir a ser postas em causa por documentação existente na empresa. Também é verdade que o PSD quer ter acesso a "despachos e aos documentos e informações oficiais emitidos pelas entidades competentes no processo Face Oculta".
Tenho as minhas dúvidas sobre a legalidade do pedido por se tratar de documentação em segredo de justiça ou relativa a escutas já consideradas nulas por quem de direito e cuja destruição já foi ordenada. Do que não tenho dúvidas é de que o PSD, em matéria de chicana política, não recusa qualquer expediente mesmo que as suas iniciativas ponham em causa o estado de direito.

segunda-feira, 22 de março de 2010

"Em casa de ferreiro, espeto de pau"

Pelos vistos, nem a Presidência da República, nem o Parlamento, entregaram os planos anti-corrupção pedidos pelo Conselho de Prevenção e Corrupção (CPC). Ao que afirma o presidente do CPC, Guilherme de Oliveira Martins irão entregá-los, em breve. Ainda que seja assim, atentas as responsabilidades duma e doutro e a obrigação de servirem de exemplo,  já não se livram de que se lhes aplique o ditado: "em casa de ferreiro, espeto de pau".

Um homem que faz a diferença

A aprovação pela Câmara dos representantes norte-americana do projecto de lei sobre a reforma da Saúde, proposto pelo presidente norte-americano Barack Obama, em cumprimento das suas promessas eleitorais, é uma importante vitória de Obama, mas constitui, sobretudo, um passo muito importante no sentido de tornar a sociedade norte-americana mais justa e solidária. Sabe-se que não foi tarefa fácil, dado o individualismo que impregna a sociedade norte-americana e a força do lóbi das seguradoras, e que, para atingir este objectivo, houve que haver cedências, mas a capacidade, o idealismo e o empenho de Obama acabaram por dar os seus frutos.  Barack Obama, um homem  que faz a diferença? Yes, he is!

"The big problem"

Uma das questões que mais tem preocupado, ultimamente, alguma pretensa elite nacional, (sendo de destacar, neste particular, Clara Ferreira Alves com as suas intervenções no "Eixo do Mal") centra-se no pagamento ou não pagamento pela Assembleia da República do custo das viagens da deputada Inês Medeiros, de e para o seu local de residência.
Não há qualquer dúvida de que a deputada tem a sua residência estabelecida  em França e mais propriamente, em Paris, se não estou em erro. Assim sendo, uma vez que, à data da candidatura, já essa situação era conhecida e sabendo-se que o pagamento aos deputados do custo das viagens entre a sede da Assembleia da República e a sua residência, faz parte das regras estabelecidas, pergunto-me onde está o problema.
Suponho que "the big problem" reside no facto de o custo das viagens, ser, no caso da deputada Inês Medeiros, superior ao dos restantes deputados e, pagando-se à deputada Inês Medeiros, estaria a abrir-se um precedente. Confesso que não sei se o custo das viagens entre Lisboa e Paris será muito superior ao das viagens entre Lisboa e os Açores ou a Madeira, p.e, mas admito que a diferença não seja assim por aí além. Seja, porém, assim ou seja assado, a meu ver e salvo o devido respeito, só existe problema, porque vivemos num país onde se cultiva a mesquinhice. E da qual nem sequer nos apercebemos: a ter-se em conta o custo das viagens dos deputados, só poderiam candidatar-se os/as cidadãos/cidadãs residentes na Rua de S. Bento.
E, ainda que mal pergunte: onde está a novidade? Não pagamos já as viagens dos deputados ao Parlamento Europeu?
Dir-se-á que, neste caso, não é a Assembleia da República o pagador, porque quem paga é o Parlamento Europeu. Mas será que o pagador não é, afinal, sempre o mesmo ? O contribuinte.
(Imagem daqui)

domingo, 21 de março de 2010

Taça da Liga entregue (e bem): Benfica: 3 - Porto: 0 (Videos - Golos)

Mesmo sem fazer um grande jogo, o Benfica venceu o Futebol Clube do Porto, por 3-0, arrebatando, desta forma a Taça da Liga.
A vitória começou a desenhar-se cedo, logo aos 9 minutos, graças a um "frango" do guarda-redes Nuno que deixou escapar para dentro da baliza, uma bola rematada por Rúben Amorim e que lhe chegou às mãos quase a morrer. Digno de registo, apenas o segundo golo marcado de livre directo por Carlos Martins. Um grande golo! O último golo, da autoria de Oscar Cardozo, surgiu já mesmo no final, no período de descontos.
Fica uma pergunta: o que se passará, entretanto, com o FCPorto que não parece o mesmo ?
Golo de Rúben Amorim

Golo de Carlos Martins

Golo de Cardozo

A surpresa !...

Confrontado com a recente sondagem relativa às intenções de voto dos militantes do PSD, nas próximas "directas" para eleição do líder do Partido, que apontava para a fraca hipótese de vir a ser eleito, Aguiar-Branco, um dos quatro candidatos em liça, prometeu uma surpresa para o dia das eleições.

O "anjinho" !




Depois das acusações dirigidas ao primeiro-ministro, dentro e fora da Assembleia da República, designadamente, por parte do PSD, Aguiar-Branco, em comentário a esta entrevista de José Sócrates e referindo-se à comissão de inquérito sobre o frustrado negócio PT/TVI, quer-nos convencer que “As comissões de inquérito existem para fiscalizar e escrutinar os actos do Governo. Não existem para incomodar ninguém, existem para esclarecer .
Em geral, sim, mas não no caso, como é evidente. Por parvos nos toma o "anjinho" Aguiar-Branco ?
(Imagem daqui)

sexta-feira, 19 de março de 2010

Em cheio, no alvo !

O papel de um Presidente da República não é o de gerir silêncios" (Manuel Alegre, acertando em cheio no alvo: Cavaco Silva)

Longa vida às minhocas!

Pelo que li aqui, o "SOL" publica hoje as listas de presentes de Natal do empresário Manuel Godinho apreendidas no âmbito do processo "Face Oculta".
A notícia suscita-me duas observações:
Com a publicação deste género de material, o "Sol" tem a sua vida mais que assegurada. Sabe-se, com efeito, que há por aí, à disposição e com fartura, matéria dessa natureza. Listas de presentes de Natal é coisa que não falta. É só escolher entre "micro, pequenas, médias, ou grandes" empresas, pois oferecer presentes pelo Natal é prática comum seguida em empresas da mais variada dimensão.
Tal publicação é puro lixo informativo e o "SOL" ao seguir esta linha editorial  em que se especializou, segue o exemplo das minhocas que vivem do lixo e nele prosperam. Longa vida pois para as minhocas do "SOL"!
Suponho (mas não garanto) que na PJ e no Ministério Público de Aveiro não há minhocas. Todavia, se a apreensão das listas de presentes no âmbito do processo Face Oculta parte da consideração de que 'as listas são uma das provas do "projecto delituoso" delineado pelo empresário de Ovar para conseguir vantagens para as suas empresas, através do estabelecimento de uma teia de "cumplicidades", então não posso também deixar de desejar-lhes longa vida, pois têm pela frente uma tarefa ciclópica: esquadrinhar os milhares (ou milhões?) de listas do género que têm à disposição.
(Imagem daqui)

quinta-feira, 18 de março de 2010

Uma sábia decisão

É verdade que cabe aos partidos proponentes (BE e PSD) fazer a prova dos factos imputados ao Governo e ao primeiro-ministro a propósito do negócio PT/TVI. Sendo assim, parece louvável a decisão anunciada pelo PS, tanto mais que, face aos depoimentos até agora prestados na Comissão de Ética, tudo indica que a oposição não fará, nem a prova da interferência do Governo no negócio, nem, consequentemente, a prova de que o primeiro-ministro tenha faltado à verdade na Assembleia da República. Isto, porque, como é óbvio, só o conhecimento e a interferência do primeiro-ministro e/ou do Governo no negócio é que seriam politicamente relevantes e, por isso, é também nesse sentido que tem de ser entendida e avaliada a resposta do primeiro-ministro no Parlamento. 
Acresce, no sentido da  bondade da decisão do PS, que esta tem a vantagem suplementar de não alimentar o prolongamento da novela que, por mim falo, já cansa.
A decisão tem, porém, a desvantagem de não nos assegurar, à partida, a assistência à apresentação por parte de Manuela Ferreira Leite das provas (?) que lhe permitiram fazer as acusações que, com tanta certeza, fez em pleno Parlamento. Não é caso, todavia, para desesperar: face ao " todo o gosto em lá ir" por ela manifestado, fico a aguardar que o PSD a chame a depor e logo à cabeça. Como se espera e impõe, se ela e o seu partido tiverem algum sentido de responsabilidade. Duvido, mas fico a aguardar.

Liga Europa: Benfica passa aos quartos-de-final - Resultado: Marselha: 1; Benfica: 2 (Golos - vídeos)

Com golos de Maxi Pereira e de Kardec, este já nos instantes finais, o Benfica derrotou, por 2-1, o Marselha, passando assim aos quartos-de-final de Liga Europa, dado que o encontro anterior no Estádio da Luz tinha terminado empatado (1-1).
Parabéns Benfica! 
Vìdeos:

Golo de Niang (Marselha)



Golo de Maxi Pereira (Benfica)



Golo de Kardec (Benfica)

Uma flor de vez em quando (Bellis sylvestris)


Margarida-do-monte (Bellis sylvestris Cirillo)
(Clicando na imagem, amplia)

quarta-feira, 17 de março de 2010

Os ETs, pois claro !

Parece confirmar-se que a aprovação da "lei da rolha", no Congresso do PSD, no passado fim de semana, foi obra de infiltrados, como já vi sugerir por aí. (Peço desculpa ao autor da ideia, por não o citar, mas a minha memória já não é o que era).
Com as evidentes excepções de Santana Lopes (autor da proposta) e da Drª Leite (que achou bem) toda a minha gente, a começar pelos candidatos à liderança e a acabar no Dr. Pacheco Pereira, a abominam.
Resta quem ? Os ETs, pois claro!

Andamos a brincar às acusações ou quê ?

O depoimento da presidente do PSD, Manuela Ferreira Leite na comissão de inquérito, sugerida pelo ministro Jorge Lacão, é mais do que justificável. De facto, é indispensável, pois partiu dela a acusação dirigida ao primeiro-ministro de ter mentido no caso do gorado negócio PT/TVI. A Comissão de Inquérito é o lugar apropriado para Ferreira Leite apresentar prova das suas acusações, com todas as consequências que ao caso couberem. Seria, aliás, estranho  que à autora das acusações não fosse dada a oportunidade de prová-las.
E direi mais: estranho é que não seja ela própria e o seu partido a exigir a prestação do seu depoimento.
Andamos a brincar às acusações, ou quê ?

Directamente para o desastre...

Ao que dizem os comentadores encartados, a luta para a liderança do PSD resume-se a dois candidatos: Passos Coelho e Rangel. Castanheira Barros não conta, pois a comunicação social ignora-o por completo e Aguiar-Branco, porventura o mais capacitado, também é, pelos vistos, uma carta fora do baralho.
Se assim for, do meu ponto de vista, qualquer que venha a ser o vencedor das "directas", estas são o caminho mais directo para o desastre.
Passos Coelho tem um discurso mais estruturado, sem dúvida, mas a sua receita, como se pode deduzir por estas declarações, significa muito simplesmente a transformação do Estado Social num Estado Mínimo, seguindo a cartilha liberal.
Rangel, à falta de um programa coerente, dispara em todas as direcções e em tudo o que mexe. Dá para um bom guerrilheiro da palavra. Só que dirigir e governar não é falar. E, menos ainda, arremeter contra tudo e contra todos, como é seu vezo.  É planear e fazer. O quê, Paulo Rangel?

terça-feira, 16 de março de 2010

Mas, em demagogia, este não fica atrás...

...deste.
E já agora, como se pergunta aqui, por que não 1 entrada para cada 10 saídas ?
Ou será, pergunto eu, que a ideia é não só "retirar o Estado da economia, nomeadamente da área das comunicações, energia, área ambiental e dos transportes", mas, mais simplesmente, fechar a "loja" ? Do Estado, bem entendido.

Para não fugir à regra ...

Compreende-se que, face à necessidade de implementação do PEC, devido às exigências de Bruxelas e à pressão dos mercados financeiros, o Governo se tenha visto na obrigação de reduzir o investimento público inicialmente previsto, para diminuir o défice e o endividamento externo.
Sabendo-se, entretanto, que a versão do PEC apresentada em Bruxelas foi bem aceite pela Comissão Europeia e pelo Euro-grupo e bem acolhida pelos organismos internacionais, OCDE incluída, não dá para ver quais as razões que levam o candidato à liderança do PSD, Paulo Rangel, a reclamar o "adiamento do novo aeroporto, da terceira travessia e, eventualmente, do TGV entre Lisboa e Madrid”.
Onde sustenta o candidato laranja as suas opções ? Nalgum estudo ?
Não. Pelo que vejo, apenas na demagogia, como é seu timbre. 

Liga dos Campeões: Chelsea 0 - 1 Inter (Video - Golo) Inter apurado

Poucos teriam antecipado, após o jogo da primeira mão, disputado em Milão entre o Inter e o Chelsea e que aquele venceu, com alguma felicidade, por 2-1, que o Inter teria tanta facilidade em afastar o Chelsea da Liga dos Campeões. Mas, de facto, foi o que aconteceu, e com inteira justiça. O Inter superiorizou-se ao adversário e venceu o Chelsea, por 0-1, resultado que, diga-se, só peca por defeito, tantas foram as oportunidades para marcar, em particular no segundo tempo.
Segue em frente o Inter para os quartos-de-final da Liga dos Campeões, liderado por Mourinho. E bem.
Vídeo:
Golo de Samuel Eto’o (Inter)

segunda-feira, 15 de março de 2010

Histórias da carochinha

Numa investigação já arquivada pela justiça inglesa, "os investigadores ingleses encontraram [só agora] um novo documento sobre o alegado pagamento de “luvas” no âmbito do licenciamento do Freeport e no qual aparece o nome do primeiro-ministro, José Sócrates, do ministro da Presidência, Pedro Silva Pereira, e do ex-secretário de Estado do Ambiente Rui Gonçalves"
Por favor, vão contar esta história da carochina para outras bandas.

Duplo azar de rafeiro

O José António Cerejo continua a farejar tudo quanto diga respeito a José Sócrates. Desta vez, descobriu que o "Processo do prédio em que Sócrates teve a primeira casa desapareceu da câmara".
Convenhamos que tanto empenho em farejar era merecedor de melhor sorte. Mas, pelos vistos, não há nada a fazer: nem um rafeiro se transforma em perdigueiro, nem este dá com caça grossa quando não há. Duplo azar de rafeiro. 

A solução Sonae

"Acho que se deve gerir o Orçamento como qualquer dona de casa faz, poupando”. Para isso,  “é necessário favorecer o consumo”.  (Belmiro de Azevedo dixit
Confesso que não estou  a ver bem como é que se poupa, favorecendo o consumo, mas eu também não sou dono de nenhuma cadeia de hipermercados. E, além do mais, sou incapaz de resolver o problema da quadratura do círculo, o que, pelos vistos, para Belmiro de Azevedo não passa duma brincadeira de crianças.

domingo, 14 de março de 2010

Simplesmente distraídos ?

Leio por que os candidatos à liderança do PSD estão todos contra a alteração estatutária aprovada no Congresso de Mafra impondo sanções aos militantes que venham a tomar posições contra o partido nos 60 dias imediatamente anteriores à realização de eleições, sanções que podem ir até à expulsão. Ora, é um facto que tal alteração foi aprovada por uma maioria qualificada de 352 votos, contra 76, e 102 abstenções e, o que é mais significativo, é que, pelo que vejo, durante a discussão da "lei da rolha" nenhum dos candidatos se pronunciou contra tal alteração.
 Em que ficamos ? Foi por pura distracção ? Não o creio, embora a simples omissão de uma tomada de posição contrária durante a discussão, já seja grave, pois revela, pelo menos, a displicência dos candidatos à liderança, em relação a um assunto da maior importância, pois trata-se de uma limitação à liberdade de expressão dos militantes e sem paralelo em nenhum outro partido.
E fala esta gente, (Rangel, em particular) em "claustrofobia" e em "asfixia" ?
Pelos vistos, sim, mas portas adentro.

Sporting: 3 - Vitória de Guimarães: 1 ( Entrada de leão) (Vídeos dos golos)

O Sporting averbou mais uma vitória para o campeonato, desta vez, em Alvalade, frente ao Vitória de Guimarães. Habituados nos últimos jogos a goleadas, desta vez, os sportinguistas tiveram de se contentar com um resultado mais modesto. É verdade que, após uma primeira parte à "leão", a goleada se apresentava como uma boa possibilidade, pois o marcador, no final da 1ª parte,  apontava 3 golos sem resposta. Na segunda parte, no entanto, esfumou-se essa possibilidade e foi mesmo o Guimarães o primeiro a marcar e a reduzir para 3-1, resultado com que terminou o encontro.
Sublinhe-se, entretanto, o mais importante: com este resultado, o Sporting consolidou a sua posição no 4º lugar do campeonato e, ao mesmo tempo, o Vitória de Guimarães (que disputava a mesma posição) ficou agora mais longe de a vir a ocupar no final.


Vídeos:
Golo de Grimi (Sporting)


Golo de Liedson (Sporting)


Golo de Saleiro (Sporting)


Golo de Valdomiro (Guimarães)

Nacional: 0 - Benfica: 1 (A caminho do título) (Golo -vídeo)

Ao vencer o Nacional, no estádio da Choupana, por 0-1, o Benfica deu mais um passo na conquista do campeonato, sendo, porém certo que a caminhada não está isenta de dificuldades. Como foi o caso do jogo de hoje, em que o Nacional deu boa réplica. O escasso resultado é, aliás, prova disso. Dificuldades que se antevêem também para o próximo jogo no estádio da Luz, onde o Benfica terá de enfrentar o segundo classificado, o Braga, à curta distância de 3 pontos, que no próximo jogo se podem esfumar. Não é previsível, confesso. Mas possível, é. Veremos.
Vídeo:
Golo de Cardozo (Benfica)

RIP?

Repesco aqui algumas das frases mais marcantes do Congresso do PSD

Manuela Ferreira Leite, líder do PSD:
"Sabíamos que a história nos iria dar razão, mas também dos enormes custos de ter razão antes de tempo. Não nos arrependemos, antes pelo contrário"
(Mais uma que teve razão antes de tempo !)
Marcelo rebelo de Sousa:
"Uma coisa é certa: não entro candidato nem saio candidato".
"Temos de trabalhar para reeleger Cavaco Silva"
(Marcelo: qualquer prédica dominical substituiria, com vantagem, a deslocação)
Pedro Santana Lopes:
"O primeiro-ministro não pode viver sob suspeita sobre o seu carácter e manter-se em funções: das duas uma ou se demite ou dá um murro na mesa e exige o cabal esclarecimento da situação".
"Penso que podemos evocar Chico Buarque e dizer: foi boa a festa, pá"
(Boa, Pedro !?)
Marques Mendes
"Olha-se para tudo isto, que é sério e que é grave, e tem-se a sensação de viver uma espécie de fim de regime. Um pântano político, uma encruzilhada económica e social. Por muito que seja duro, a verdade é esta: cheira a fim de regime, e isto é muito e muito preocupante".
(Por culpa de quem Marques Mendes?)
Paulo Rangel:
"Se José Sócrates é o rosto dos bloqueios da vida portuguesa, então Portugal precisa agora mais do que nunca de uma verdadeira dessocratização".
(Rangelizar o país, eis a solução !)
José Pedro Aguiar-Branco:
"Se as próximas eleições fossem um concurso de retórica ou de especialistas ganharíamos com eles. Mas ter apenas retórica ou bons técnicos não basta para ganhar eleições".
(Estocada em Rangel. Bem aplicada)
Pedro Passos Coelho:
"Não se importam que eu diga isto. Se há muito nos andamos a desentender, (dirigindo-se a Alberto João Jardim) deixe-me dizer-lhe: Não é só o senhor que sabe perdoar ao engenheiro Sócrates, eu também sei perdoar e também espero que saiba perdoar".
"E que aceite (José Sócrates) então não votar o PEC no dia 25 de Março, mas que o aceite votar quinze dias depois, se isso for necessário, depois de o discutir com o novo líder eleito do PSD".
"Eu não tenho dúvidas de que este Governo está ferido de morte e não tenho dúvidas de que aguarda um golpe de misericórdia. O que nos deve preocupar, portanto, não é saber quando é que este Governo vai cair. Não temos de ter pressa em chegar ao Governo, o que temos é de dar significado ao nosso regresso à área governativa. Devemos fazê-lo com cuidado"
(Profundos pensamentos! Cuidado, pois, muito cuidado...)
Castanheira Barros:
"A crise é uma ficção, não existe".
(Graças a Zeus!)
Luís Filipe Menezes:
"Eu votarei no Pedro Passos Coelho".
(E o que tenho eu a ver com isso ? Em todo o caso, bom proveito!)
Alberto João Jardim:
"Ele [Pedro Passos Coelho] disse que me perdoava a mim. Ora como eu não tinha pedido perdão a ninguém nem percebi de que é que ele me estava a perdoar, levantei-me e vim-me sentar ao lado do Paulo Rangel".
(E fez muito bem. Sentar-se.)
Pedro Rodrigues, líder da JSD:
"Considero que o doutor Paulo Rangel é quem, no momento e nas circunstâncias atuais que o país e o partido enfrentam, melhores condições tem para mobilizar o partido, para devolver a esperança aos portugueses e para voltarmos a governar Portugal. É aquele em que acredito para unir o partido".
(Já somos dois a pensar o mesmo, mas certamente, por razões diferentes.) 
 
Pela amostra, resta concluir que Santana Lopes ao promover a realização do Congresso, prestou um inestimável serviço ao país. Provou, de facto, que o actual PSD e o PSD que os candidatos à sua liderança anunciam, caminha para a decadência e, a prazo, para a irrelevância política, tal a pobreza de ideias e a ausência de soluções para os problemas do país.
RIP? 

"Povo Livre" ?

Por razões que não vêm ao caso, não tive oportunidade de prestar ao desenrolar do Congresso do PSD a devida atenção. No entanto, ainda cheguei a tempo de tomar conhecimento da aprovação no Congresso da proposta de Santana Lopes prevendo sanções para os militantes que discordem da direcção do PSD nos 60 dias antes das eleições, decisão que contou com o aplauso da líder cessante.
O aplauso vindo de uma adepta da suspensão da democracia, não admira. Já espanta que o "povo" de um partido que dispõe de um órgão de comunicação oficial com o título de "Povo Livre", se  reveja numa tal lei da rolha. Mas, se assim é, não deveria o "Povo Livre", passar a "Povo Amordaçado" ?
Querem lá ver que se esqueceram do pormenor!

quinta-feira, 11 de março de 2010

Sondagem: PS distancia-se do PSD e BE afunda-se

O PSD com as suas comissões de inquérito, de braço dado com o BE*, não consegue levar a água ao seu moinho. É a conclusão a tirar de mais esta sondagem do Universidade Católica para DN, JN, RTP e Antena 1, realizada entre os dias 6 e 9 de Março de 2010. E, com os candidatos que estão na corrida à sua liderança, tenho para mim que também não vai longe.
Todavia, parece-me também evidente, contrariamente ao defendido pelo actual inquilino de Belém, que, com a actual composição da Assembleia da República, não vamos lá. A meu ver, tendo em conta as sucessivas coligações negativas formadas pela direita e pela esquerda (ainda hoje tivemos mais duas), parece-me imperioso realizar novas eleições, logo que aprovado o Orçamento de Estado, por forma a que se ponha termo a esta situação em que sobressai a irresponsabilidade das oposições que teimam em pôr em causa a credibilidade externa do país, credibilidade que mais afectada será se o PEC não vier a receber a bênção das bancadas da oposição. Nessa eventualidade que se me afigura cada vez mais provável, o PS não terá outra alternativa que não seja avançar no Parlamento com uma moção de confiança. Para não continuarmos no pântano.  E a Bem da Nação.
*Pode ser mera coincidência, mas o que é facto é que as intenções de voto no BE vêm por aí abaixo. Fruto sua oportunista ligação às posições da direita? Porventura não só, mas também. Quem não tem uma prática condizente com o discurso, arrisca-se a estes percalços. A demagogia nem sempre compensa. Está visto.
(Infografia daqui)

Liga Europa: - Benfica: 1 - Marseille: 1 - (Vídeos - Golos)

O resultado alcançado pelo Benfica, no Estádio da Luz, frente ao Marseille (1-1) pode muito bem ter comprometido a passagem do Benfica aos quartos-de-final da Liga Europa, pois como é óbvio, o resultado é vantajoso para equipa visitante que marcou um golo fora. Isto se diga do resultado. Quanto ao jogo, há que reconhecer que o Benfica de hoje esteve longe de ter a qualidade de que deu provas noutras circuntâncias. É verdade que o Marseille não é o Hertha, mas, sinceramente, face aos resultados em jogos anteriores, com sucessivas goleadas, era de esperar não só outra exibição, como outro resultado. Não creio que o Benfica, em Marselha, consiga dar a volta à eliminatória.
Depois da derrota do Porto, frente ao Arsenal, para a Liga dos Campeões, bem se pode dizer que, em termos de competições europeias, a nível de clubes, tivemos uma semana negra. Ainda assim, com uma excepção: o empate do Sporting frente ao Atlético de Madrid.
Videos dos Golos
Golo de Maxi Pereira (Benfica)

Golo de Ben Arfa (Marseille)

Um empate a que só faltaram os golos para ser excelente

Não foi uma vitória, nem um empate com golos, o resultado que o Sporting foi alcançar ao Santiago Calderón, frente ao Atlético de Madrid, para a Liga Europa. Melhor só teria sido possível se o jogo tivesse sido disputado onze contra onze, o que, graças ao árbitro da partida, não foi possível, pois deu-se ao luxo  de expulsar dois jogadores do Sporting. Tendo em conta as circunstâncias, o resultado pode ser considerado satisfatório, pois de qualquer forma não põe em causa o apuramento. E pode ser que em Alvalade os remates de Liedson não acertem na trave. Haja fé.
(Arbitragem caseira, considera-se aqui. Já somos dois, pelo menos, a pensar o mesmo)
(Imagem daqui)

terça-feira, 9 de março de 2010

Toca a plantar...

Hoje é dia de plantar framboesas. Com tanta água espero que não se afoguem!
Então, até depois.
(Clicando, amplia)

segunda-feira, 8 de março de 2010

Dia da Mulher

À falta de poema, uma flor: a rosa...

O cúmulo da credulidade é:

Parabéns aos crédulos que por aí não faltam. Homens (e mulheres) de muita fé !

O PEC em resumo:

Pelo lado da DESPESA:


CORTE NO INVESTIMENTO PÚBLICO: o peso do investimento público no PIB vai cair de 4,2% em 2009 para 2,9% em 2013.

SALÁRIOS CONGELADOS: os funcionários públicos vão ter aumentos salariais abaixo da inflação até 2013. Idem para os trabalhadores das empresas do Sector Empresarial do Estado (SEE);
APOIOS À ECONOMIA: algumas das medidas anti-crise, como o alargamento do subsídio de desemprego e o subsídio de contratação de jovens, vão ser retiradas já em 2011.


CORTE NAS PRESTAÇÕES SOCIAIS: o Governo vai cortar em 0,5% os gastos com prestações sociais até 2013."

Pelo lado da RECEITA

"NOVO ESCALÃO DE IRS: o Governo cria um novo escalão de IRS de 45% para quem tenha rendimentos anuais superiores a 150 mil euros. A nova taxa será temporária e vai durar até 2013. Estas medidas incidem já sobre os rendimentos obtidos em 2010.


PRIVATIZAÇÕES: Esta será a principal via para reduzir a dívida pública. O Governo prevê um encaixe de 6 mil milhões de euros de receitas."
(Resumo adaptado daqui)
______

Estão mexendo no meu e no seu bolso. É verdade, mas o que tem ser, tem muita força. É, não é ?
Ou será que há por aí alguém que ofereça melhor "receita" e mais credível ?

domingo, 7 de março de 2010

Uma flor de vez em quando (Ophrys lutea)

Erva-vespa, ou Flor-moscardo [Ophrys lutea (Gouan) Cav.]
(Local e data: Capuchos - Almada; 07-Mar-2010)
(Clicando, amplia)

Campeão à vista - Benfica: 3 - Paços de Ferreira: 1 - (Golos - vídeos)

Não há que duvidar: com mais esta vitória sobre um digno adversário, o Paços de Ferreira (3-1)o Benfica mantém a veia goleadora e, já isolado na frente, tem o caminho aberto para o título. O Braga, a 3 pontos, e denotando sinais de fraqueza (veja-se o jogo de ontem frente ao Vitória de Setúbal) já não deverá constituir obstáculo.
Vídeos:
Golo de Ruben Amorim (Benfica)

Golo de Saviola (Benfica)

Golo de William (Paços de Ferreira)

Golo de Cardozo (Benfica)

Liga Sagres: Belenenses: 0 - Sporting : 4 - Nova goleada (E vão três) ( Vídeos - Golos)

Depois de ter brindado o Everton (para a Liga Europa) e o Porto (para o campeonato (Liga Sagres) com 3 golos sem resposta, o Sporting excedeu-se hoje, frente ao Belenenses, derrotando-o no seu campo por 0-4. Todos com a marca do "Levezinho". Não há fome que não dê em fartura !
Infelizmente, o Sporting e Liedson acordaram tarde. Com estas exibições e estes resultados, a história do campeonato teria sido bem outra ! Como não vale a pena chorar sobre o leite derramado, saúde-se este Sporting remoçado, porque, como diz o outro, mais vale tarde, do que nunca.Pois seja !
Vídeos:
Golos de Liedson (Sporting)



A bem dizer ...


... com mais este tropeção em Setúbal (empate a zero) é bem provável que, à semelhança do FCPorto, também o Braga tenha dito adeus ao título. Manifestamente, o jogo com o Vitória de Setúbal era um jogo para ganhar por uma equipa, como o Braga, alegadamente com com ambição de ser campeão, nesta época. Se o Benfica vencer o próximo jogo com o Paços de Ferreira, como é muito provável, o Braga ficará a 4 pontos do seu competidor mais directo e, ao que se me afigura, já não terá forças para o alcançar, tanto mais que ainda terá que se deslocar ao estádio da Luz. A bem dizer, com o Porto fora da corrida e o Braga a dar sinais de fraqueza, o Benfica pode ir encomendando as faixas. Acho eu.
(Imagem daqui)

sábado, 6 de março de 2010

Lições de sabedoria ...

"(...)
Nestes dias sujos e vociferantes, muitas palavras se têm escutado sobre as escutas. Em quase todas elas, há aquela mistura de moralismo e ódio, alvoroço e justicialismo, mediocridade e exibicionismo que preside aos grandes desastres. Dizer que os meios ganham razão pelos fins é dar voz à barbárie. Mas há sempre juristas para a defender, tornando legítimo o ilegal e justo o intolerável. Em todos os crimes dos despotismos, do ordálio medieval aos julgamentos de Moscovo, houve juristas a fazer da sua argumentação uma justificação e mesmo uma apologia do monstruoso. Esses crimes foram sempre perpetrados em nome de um "interesse superior": da Verdade, do Bem, do Estado, da Nação, do Público, da Raça, de Deus. Ficaremos todos mais prevenidos e lúcidos quando um dia se fizer uma história do direito como aliado da barbárie.
(...)
Tornar conhecidas escutas, obtidas criminosamente, e fazer disso uma grande boa consciência é um começo que não tem fim. Haverá todos os dias uma nova razão (moral, política, económica, social, desportiva) para uma nova expedição às terras arenosas da infâmia. Mas usar as escutas, fazendo uma declaração prévia de má consciência por as usar, não chega para trocar a vergonha pela honra. Oiço dizer: 'Odeio escutas. Tudo isso me repugna, mas agora que as conhecemos não as podemos ignorar'. Aqueles que dizem isto (afirma um amigo meu) é como se dissessem: ' Sou contra a tortura, mas reconheço a sua utilidade para obter boas confissões.' (...)"

[José Manuel dos SantosEscutas  (in Actual - Expresso - 6 Março 2010)]

Os números mirabolantes

recusa dos Sindicatos da Função Pública em aceitar a proposta do Governo de monitorização conjunta dos dados de adesão à greve, vem demonstrar que a preocupação das estruturas sindicais da Função Pública não se centra na informação, mas na propaganda. Já era de desconfiar, perante os números que  têm por hábito avançar. Números  que, por regra, são tão mirabolantes que não dá para acreditar. E não sendo credíveis, lá se vai a força da propaganda.
Os sindicatos da Função Pública perderam, pois, uma boa oportunidade para ganharem alguma credibilidade. Pensem nisso.

Se isto é informação, onde começa a manipulação ?

(1ª página  do "Expresso" com manchete: "PJ em Londres para investigar novas pistas contra Sócrates" e o casal inquilino de Belém a espreitar)
Lê-se a notícia e de "novas pistas", nem sinais.
Entretanto uma fonte judicial garante: "Os investigadores do caso Freeport estão actualmente a ler o relatório pericial para ver se há lacunas ou contradições, não tendo na sua posse novos indícios que justifique uma deslocação a Londres".
As manipulações "solares" já são o pão nosso de todas as semanas. Como leitor do "Expresso" uma tal manipulação ainda me causa alguma surpresa e  desconforto, mas, ao que parece, o vírus da desinformação está em fase de expansão. E, pelos vistos, já chegou ao "Expresso". É pena.
Será que é apenas um caso demonstrativo de que no melhor (?) pano cai a nódoa, ou será a prova de que o filão do "lixo" é que está a dar e o "Expresso" não se quer deixar ultrapassar pela concorrência ?
É caso para acompanhar.

FCPORTO:2 - OLHANENSE: 2 - Adeus campeonato (Golos vídeos)

Com o empate conseguido, hoje, já no período de descontos, em jogo disputado no estádio do Dragão, frente ao Olhanense, o Futebol Clube do Porto disse definitivamente adeus ao campeonato. O resultado (2-2) prova, na sequência da derrota em Alvalade, por 3-0, frente ao Sporting, que o FCPorto não só atravessa um mau momento, mas que a equipa está muito longe da "máquina" das épocas anteriores. Para dizer a verdade não admira, tantas foram as "peças" dispensadas. E que falta fazem essas "peças"! Mesmo frente ao "F.C. Porto B" ?
Videos
Golos de Djalmir (Olhanense)



Golo de Falcao (Porto)

Golo de Guarin (Porto)

À espera de S. Marcelo

Multiplicam-se o apelos para que o Prof. Marcelo se candidate à liderança do PSD. Desde Alberto João, que apela à desistência dos três candidatos já assumidos, passando por Marques Mendes e Santana Lopes, não faltam as vozes a rogar a Marcelo para que desça lá do alto.  
Não é preciso pôr mais nada na carta para ficarmos a saber o que, no interior do partido, se pensa das actuais candidaturas. Pelos vistos, não é lá grande coisa.

sexta-feira, 5 de março de 2010

Quem não quer ser lobo, não lhe veste a pele

Sem papas na língua, como é seu hábito, o bastonário da Ordem dos Advogados afirmou que “O poder judicial está, neste momento, empenhado em derrubar o primeiro-ministro." E, não se ficando por aqui, acrescenta que  “há uma agenda política por trás de sectores das magistraturas do Ministério Público e dos juízes”.
Não tardaram as reacções dos  visados e, dentre elas, a do senhor Palma (presidente do SMMP) que quer ver as acusações concretizadas. Ora, o bastonário até lhe deu um exemplo, ao falar do caso Freeport, mas, em boa verdade também lhe podia citar o processo "Face Oculta". Por exemplo.
Não é com estes pedidos de explicações que os dirigentes dos sindicatos do Ministério Público ou dos juízes, afastam as suspeições lançadas pelo bastonário e que muitos outros, onde me incluo, fazem suas. Se quiserem credibilizar a justiça, terão eles sim que explicar, por que razão é que só ocorrem violações do segredo de justiça em processos em que o nome do primeiro-ministro aparece referenciado. E já agora, aproveitem também para explicar por que motivo nunca vieram a público denunciar essas constantes violações.
Se não querem ser vistos como lobos, não lhe vistam a pele.  Ou antes, dispam-na.
(Imagem daqui)

Que bela comemoração !

O "Público" comemorou os seus 20 anos de existência com a oferta da sua edição de hoje e simultaneamente prendou os seus leitores com uma sondagem, com manchete que ocupa quase toda a primeira página, para nos dizer que Sócrates mentiu sobre a TVI, segundo 60% dos inquiridos. Estranha forma de comemoração.
Julgava eu, até agora, que, só em função dos factos, era possível saber se alguém falava verdade ou mentira. Para o "Público", pelos vistos, uma sondagem é quanto baste.
Na edição impressa, o médio leitor ainda consegue perceber que a afirmação tem na base uma sondagem, cuja oportunidade (em face da efeméride) e seriedade (tendo em conta o objecto) me parecem altamente discutíveis) mas na edição on line, a sondagem (referenciada em pequenos caracteres) passa facilmente despercebida, sobressaindo, em letras gordas, o título "Sócrates mentiu no Parlamento sobre o negócio da TVI" .
Se isto é informação, onde é que começa a manipulação?

Onde é que esta gente anda com a cabeça ?

Então, está  uma senhora "de baixa psiquiátrica há cinco meses" (M. Sousa Tavares dixit e eu não tenho razões para duvidar) e uns senhores da Comissão de Ética convidam-na a depor ?
Que ela aceite, compreende-se. Será próprio da doença. Agora que haja alguém que se tenha lembrado de a convidar, é que já não dá para entender. Onde é que esta gente anda com a cabeça ?

O tiro e o ricochete (e vão três)


Tiro:
Ricochete:
A directora da PJ decidiu apresentar uma queixa-crime contra Manuela Moura Guedes.
 
Conselho: Cala-te, "boca".
(Imagem daqui)

quinta-feira, 4 de março de 2010

E vão duas (derrotas)

Mais um debate entre candidatos à liderança do PSD, hoje entre Paulo Rangel e Aguiar Branco e, mais uma vez,  Rangel, o "palrador da República" (insisto que a expressão é de Moita Flores) levou para contar. O rapaz, pelos vistos, não teve tempo para se preparar. A "ruptura" que nos propõe, ou dá para rir (é o caso da proposta de atribuição do estatuto de secretários de Estado aos presidentes das cinco Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional) ou é um regresso ao passado (as suas propostas sobre educação não desmerecem da política do Estado Novo).
Para criticar, tem lábia e tem jeito. Para governar, Zeus nos acuda!

Nem 8, nem 80

Comme d'habitude, os números avançados pelas estruturas sindicais sobre a adesão à greve dos funcionários públicos que hoje teve lugar, não condizem com os fornecidos pelo Governo. Enquanto aquelas adiantam uma percentagem de adesão da ordem dos 8o%, o Governo não vai além dos 14%.
Em casos destes, a bota nunca bate com a perdigota, como é sabido. Resta, pois, dar a tais números o devido desconto: nem 8, nem 80. E, podem crer, assim bate certo. Mas verdade, verdadinha: o país não parou. 

Frase do dia

"Dizer que fomos instrumentalizados é um insulto"
Zeinal Bava, presiente da Comissão Executiva da PT, a propósito do gorado negócio PT/TVI. Aqui.

Ainda o Chile (Video do tsunami)

Já não bastava o sismo, ainda teve que aparecer o tsunami para aumentar a catástrofe no Chile.