quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Era uma vez na América, ou a estória da raposa no galinheiro

Dizem as notícias que Donald Trump, escolheu para dirigir a Agência de Proteção Ambiental o procurador-geral Scott Pruitt, um indivíduo que "passou a maior parte do tempo como procurador-geral de Oklahoma a lutar contra a Agência". 
Há que reconhecer que a decisão faz todo o sentido do ponto de vista de Trump, um adversário das leis de protecção ambiental e dos tratados internacionais contra o aquecimento global, fenómeno em que Trump, pelos vistos,  não acredita.
Não podendo o próprio, por razões óbvias, encarregar-se de neutralizar a acção da Agência de Proteção Ambiental, Trump teria naturalmente que procurar alguém a quem pudesse confiar o papel de raposa encarregada de destroçar o galinheiro. É claro que, para Trump,  Pruitt, pelo seu passado, é a escolha perfeita. 
Tão perfeita do ponto de vista de Trump, quão perigosa para o resto do mundo. Tão perigosa que é mesmo caso para, parafraseando os romanos, deixar o aviso: Cavete Trump!
(notícia e imagem daqui)

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Com as nomeações que vêm sendo conhecidas, Trump nem precisa de carregar no botão para destruir o Planeta. Um susto!

ginginha disse...

Cavete Trump!