quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Psicopatas, diz ele. Bem me parecia...

Segundo o investigador criminal Barra da Costa houve em Portugal "nos últimos anos, momentos assumidos pelos políticos profissionais e seus acólitos, que são de matriz psicopata, atentas as consequências gravosas para as populações mais desfavorecidas em termos socioeconómicos".
"Um primeiro-ministro ou um ministro das finanças não se ralam se condenam uma população à fome ou se estimulam uma guerra", afirmou, acrescentando: a "um ministro da educação que não se importa de despedir milhares de professores apenas para poupar uns tostões - esquecendo-se que um seu colega optou pela compra de um submarino, gastando nisso uma quantia que daria para pagar os vencimentos desses professores e dos efetivos, durante cinco anos - nada preocupa, desde que as suas necessidades pessoais e partidocráticas sejam satisfeitas". (Fonte)

2 comentários:

Majo disse...

~
~ ~ Muita razão tem este Barra da Costa! ~ ~

~ Psicopatas, fundamentalistas que andam à solta porque estes crimes ainda não foram enquadrados na lei.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu já tinha escrito sobre isso em relação a PPC e sugerido que ele não passaria num exame sério de um psiquiatra.