sexta-feira, 6 de junho de 2014

De regresso a Pasárgada

Um regresso que, de vez em quando, acontece. Lá, ao contrário do que canta o poema de Manuel Bandeira, não sou amigo do rei, porque nem rei há. Mas ainda há  ar puro para respirar e água límpida para nadar. 
Como não há bela sem senão, por regra, também não haverá forma de comunicar pela net. Tal não impedirá, espero, que possa deixar por aqui, uma que outra vez, alguns sinais do caminho percorrido.
Não como ponto de partida, mas como ponto intermédio, ficam aqui já hoje "sinais" das Fragas de S. Simão, facilmente acessíveis a partir do IC 8, por alturas de Figueiró dos Vinhos.
E com estes sinais me despeço. Até já!...




3 comentários:

Majo disse...

~
~ Boa viagem e boa estadia, Francisco.

~ Deixou-nos lindas fotos de uma natureza muito pura, mas não esqueça de mandar algumas da sua misteriosa Pasárgada.

~ ~ ~ Felicidades. ~ ~ ~

Francisco Clamote disse...

Muito obrigado, Majo. Não prometo, mas vou tentar (enviar algumas fotos da minha misteriosa - diz bem - Pasárgada - uma figura de estilo que me agrada particularmente.
Votos de muitas felicidades também para si.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Boa estadia por essas nagníficas paragens tranquilas, Francisco.