quarta-feira, 9 de abril de 2014

And now, Nulo Melo?

"Nuno Melo num debate com João Galamba na TVI24 no passado dia 3 de Abril (mais uma vez sobre as alegadas culpas do Supervisor no caso de polícia que foi o BPN), depois de ter esgotado os argumentos habituais, aventurou-se a desvendar que “as únicas propostas apresentadas em matéria de resolução bancária para se protegerem os depósitos dos clientes dos bancos são minhas” (*), deixando implícito que, se alguma coisa lá figura nesse sentido, a ele se deve. Tenho de o desmentir: Nuno Melo fez de facto algumas emendas no sentido de proteger todos os depósitos bancários em processos de resolução; só que todas elas caíram, chumbadas sem apelo nem agravo pelo seu próprio grupo político (PPE); a proteção aos depósitos que hoje existe no texto legislativo foi a que os membros socialistas conseguiram fazer passar! Convém não abusar da imaginação quando se fala para fins internos..."
(*) Citação completa: “Ficaria a saber entre outras coisas que as únicas propostas apresentadas em matéria de resolução bancária para se protegerem os depósitos dos clientes dos bancos são minhas. Não são de nenhum outro deputado de nenhum outro partido. Verificará que as únicas propostas existentes no Parlamento Europeu a solicitar que sejam distinguidos os depósitos dos privados dos depósitos das empresas, das pessoas coletivas, das fundações, das IPSS são minhas. Sabe porquê senhor deputado? Porque quando acontece uma desgraça num país, como Portugal teve o seu equivalente no BPN, infelizmente para muitos – também do seu partido – a solução está na cativação dos depósitos das pessoas. (...) E se tivesse algum grau mínimo de conhecimento sobre esta matéria – por exemplo se tivesse falado com a sua colega deputada Elisa Ferreira – saberia que inclusivamente no relatório que foi de sua responsabilidade constam hoje emendas de compromisso que exatamente incluem estas minhas preocupações.”

2 comentários:

Majo disse...

~
~ ~ Espero poder contar com ela, novamente, prestando o escrupuloso e devotado
~ dever público, a que nos habituou. ~ ~

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O Nuno tem a escola do Portas e do Coelho juntos. Um dia qualquer vai começar a fazer qualquer coisa de útil na vida: quando esticar o pernil