sábado, 16 de junho de 2012

O cúmplice


Se Passos/Coelho é o cangalheiro, António José Seguro, ao considerar "que a moção de censura anunciada pelo PCP é inoportuna", dando a entender que o PS não votará a favor da moção assume definitivamente o papel de cúmplice da política de desastre prosseguida por este governo. É que a sua alegação de que o país não pode enfrentar uma crise política não é séria. De facto, dispondo o governo de apoio parlamentar maioritário, o risco de a moção desencadear uma crise política é absolutamente inexistente.
Para justificar o voto contra ou a "abstenção violenta", desta vez, Seguro terá que se esforçar um pouco mais. Isto, se quiser que o PS seja considerado como um partido de oposição a sério.
(imagem daqui 
(Reeditada)

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Creio que já ninguém pode dar credibilidade a Seguro, Francisco
Continuação de boaa férias
Abraço

Francisco Clamote disse...

É bem possível que tenhas razão, Carlos.
Obrigado pelos votos de continuação boas férias. Vou continuar a esforçar-me nesse sentido. Abraço.