sábado, 8 de agosto de 2015

É masoquista ?

Tudo o que se possa dizer, nesta altura, acerca dos malefícios causados a Portugal e aos portugueses pela parelha Passos Coelho/Paulo Portas fica forçosamente aquém da realidade, porque só poderá avaliar-se a dimensão do desastre quando a pandilha no poder for posta fora de cena. 
Não há, porém, dúvidas de que:
- i. A actual maioria  mentiu descaramente (antes e depois da campanha eleitoral de 2011) e, formada como é por verdadeiros profissionais da aldrabice, a mesma maioria, agora sob a forma de coligação designada muito apropriadamente por PAF(!), não desistiu de ludibriar o eleitorado. (Se dúvidas houvesse, bastaria ler o relatório do FMI para elas se esfumarem.De facto ali se lê que “as autoridades [portuguesas] reiteraram o seu compromisso com as metas de redução da dívida expressos no Programa de Estabilidade e indicaram que propostas mais concretas ao nível da despesa seguir-se-ão às eleições para o Parlamento, à medida que forem necessárias”Note bem: "depois das eleições". Manifestamente, eles podem ser - são - aldrabões, parvos é que não.)
- ii. Ao longo de toda a legislatura prestes a findar, fomos repetidamente insultados, em particular por Passos Coelho que, vendo-se a ele próprio ao espelho, se fartou de andar a apregoar que os portugueses tinham andado "a viver acima das suas possibilidades"; 
iii. Garantiram-nos, depois de já terem tomado conta do "pote", que Portugal tinha mesmo que empobrecer e, verdade seja dita, por uma única vez cumpriram. Portugal empobreceu mesmo. Portugal e a maioria dos portugueses. Os ricos, ao que consta, ficaram mais ricos, em conformidade, aliás, com os desejos e os esforços da dupla partidária no poder. Em contrapartida, o número de pobres aumentou exponencialmente, em consonância com o lema deste governo: tirar aos pobres. para dar aos ricos. (Se o lema é falso, o resultado é incontroverso).
iv. Sofrendo Portugal desde há séculos e não apenas desde há décadas, de um défice de competitividade face aos seus parceiros mais próximos, Coelho e Portas, em vez de enveredarem pela política de investimento na qualificação (inclusive do empresariado que dela bem precisado anda), na ciência e na inovação, preferiu apostar  na precarização do trabalho assalariado, na redução de férias e feriados e no aumento dos horários laborais. Em pura perda.
v. A política seguida por esta gente provocou a perda de centenas de milhares de postos de trabalho e  empurrou para a emigração cerca de meio milhão de jovens e de quadros qualificados, números que representam para Portugal uma sangria de valores que não tem paralelo em qualquer outra época da sua história.
vi.  Não há memória de uma governação à qual possa ser imputado um esbulho à altura do levado a cabo pelo governo liderado pela parelha constituída pelo pantomineiro Passos e pelo vice-pantomineiro Portas. Cortes de pensões, de salários, de subsídios  de férias e de Natal, brutais aumentos de impostos sobre contribuintes individuais, acompanhados de desagravamentos fiscais para empresas, tudo serviu para "aliviar" os bolsos dos portugueses, em particular dos que fazem parte da chamada, própria ou impropriamente, classe média.
vii. Como se ainda não fossem suficientes todas as malfeitorias elencadas (e só se contou da missa,  a metade) impõe-se ainda lembrar o empenho destes meliantes em vender todos os anéis e "jóias da coroa" que ainda restavam à República. Em boa verdade até dos "dedos" se estão já a desfazer.
E tudo para quê? 
Para, no final desta legislatura, Portugal ficar mais endividado do que nunca. (130% do PIB, contra 96%, em 2011).

Deixei no título a pergunta: É masoquista ? Se é, siga o meu conselho:  vote PàF! Tendo em conta os antecedentes, pancada é coisa que lhe não vai faltar!

2 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Chicamigo

Para mim o grande problema é o que se vive no PS. Porque a PaF já se sabe o que vai fazer, pois não sabe futebolar de outra maneira: Mentira passa a Aldrabice, que dribla o Engano, recupera a Falsidade que envia para o Embuste, falha a intercepção a Intrujice que remata ao lado mas a Endrómina em recarga oportuna e enfia a bola na rede. Gooooooolllllllooooooo!!!!!!! Comenta a assistência (se é que comenta): Estamos fodidos!!!!!!

Toda a esperança depositada no Largo do Rato vai-se dissolvendo na incompetência, no desalento, na tibieza (especialmente a de António Costa - em quem votei nas primárias). E no tem-te-não-caias entre o Sampaio da Nóvoa e Maria de Belém e agora mesmo no imbróglio dos out-doors... Será que o Partido Socialista está a tentar plagiar o D. Sebastião em Alcácer-Quibir: "Morrer sim, mas devagar!?????

Nós os Portugueses temos realmente uma memória muitíssimo curta; por este andar nem o debate de 9 de Setembro nos safa... Voltam a ganhar os aldrabões e eu... emigro! Estou fartíssimérrimo deles!!!!!!

Abç do Leãozão

PS (aqui é Post Scriptum) Gostarei que me respondas aqui e na TRAVESSA. Obrigaso

Francisco Clamote disse...

Eu não estou tão pessismista, Henrique, mas, claro, há que não dar tréguas aos aldrabões e meliantes da PàF.