quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Um retrato da dívida pública portuguesa

Gráfico esclarecedor, acho eu, quanto à aceleração do aumento da dívida durante a (des)governação de Passos Coelho. Fica, no entanto, por explicar onde e como é que Coelho espatifou, em 4 anos, quase 60 000 milhões de euros. Digo espatifou, porque o endividamento em tal montante (59 807 milhões, para ser exacto) constitui um verdadeiro mistério. 
Cabe perguntar, de facto, que sumiço levaram tantos milhares de milhões de euros, se é verdade que o governo de Passos Coelho:
i. cortou, pela raiz, o investimento público;
ii .reduziu salários de funcionários públicos e empregados de empresas públicas;
iii. cortou pensões e subsídios de férias e de Natal; 
iv.  bateu todos os recordes em aumento de impostos; e .
v. graças à intervenção do BCE até viu baixar as taxas de juro.
Se tudo o que fica dito é verdade (e é) Passos Coelho deve uma explicação ao país sobre o sumiço que deu a tanto dinheiro. No mínimo.
(O gráfico obtido no facebook tem, aparentemente, origem no CM)

2 comentários:

Anónimo disse...

Se isto fosse um país a sério, esta gente reles seria julgada criminalmente pelo tanto mal que fizeram. Espero que após as eleições haja alguém que se mexa para que isso aconteça!...

Carlos Martins, Neca disse...

Ponto VI, venda ao desbarato de empresas portuguesas, mais 55% acima do valor previsto pelos maus da Troika, cerca de 9 mil milhões de euros.
Queriam ir acima da Troika, conseguiram; Aqui estão os resultados!
A Troika era/foi má para os portugueses, dizem agora estes srs. Então o que foram eles para os portugueses?