quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

De encontro contra a parede

Por mais que o disfarce por palavras, Gaspar acaba de reconhecer que ele e o governo foram de encontro contra a parede, a dura realidade que o leva a confessar que a recessão em 2013 vai ser o dobro da prevista no OE (2% contra 1%) e que o obriga a pedir mais um ano para corrigir a situação de défice orçamental excessivo.
O falhanço é, pois, em toda a linha, quer Gaspar e o governo o admitam expressamente, quer não.
Por saber fica a forma como é que o governo de Passos, Gaspar & Portas vai dar à volta ao texto, porque a revisão das metas (para pior) não melhora em nada a situação do país. Ou será que, por milagre, melhora?
Se calhar, esta gente acredita. Gente de muita fé!

2 comentários:

Graça Sampaio disse...

Ah pois acredita porque eles vão vir outra vez com o papão do Sócrates e da gestão ruinosa dos último dez. E como o Sócrates é a imagem do Anti-Crista para esta gente atrasada, o pessoal acredita!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Parece que as primeiras vítimas dos erros de Gaspar vão ser os funcionários públicos. Não serão despedidos, mas enviados para a mobilidade especial onde ficam a ganhar cerca de metade do vencimento.
Depois admirem-se se aparecer por aí um Buíça...