quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Muito a propósito

A frase: "Um homem [quem diz um homem, diz uma mulher] desejoso de trabalhar e que não consegue encontrar trabalho, talvez seja o espectáculo mais triste que a desigualdade ostenta ao cimo da terra" (Thomas Carlyle, ensaísta inglês, hoje citado no "Público", edição impressa).
E já agora, também muito a propósito, convém lembrar ao primeiro-ministro Coelho que em nada melhora a situação dos desempregados e do país, em geral, se ele se limitar a  alterar as previsões, para as adequar à realidade (sempre pior). Se quer fazer alguma coisa com proveito, melhore a realidade. 
É pedir muito. Ou antes, é pedir o impossível. Eu sei.  

1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Como pode um tipo que vive no mundo da fantasia, descer à realidade, Francisco?
Não te esqueças que este é o Coelho do País das Maravilhas!
Bom fds