segunda-feira, 5 de março de 2012

Bons ventos de Espanha

A história ensina e o ditado confirma que "de Espanha, nem bom vento, nem bom casamento". Os tempos, porém mudam e no caso da "decisão  soberana"  de Rajoy, que o PSOE apoiou (e bem) e de que já aqui falei,  não se pode dizer que sirva para confirmar o ditado. Muito pelo contrário. De facto, a recusa corajosa de Rajoy em aceitar a austeridade excessiva decorrente da observância rigorosa dos ditames do pacto  de estabilidade pode, na verdade, redundar em duplo benefício para Portugal: se, por um lado, a firmeza de Rajoy pode vir a ter a virtualidade de amenizar a rigidez da dupla Merkel - Sarkosy, donde colheríamos também algum proveito, por outro, a "decisão soberana", ao evitar que a economia espanhola enfrente uma recessão mais pronunciada, vai contribuir certamente para que o sector exportador nacional, que tem em Espanha o seu principal mercado, não encontre mais dificuldades logo do outro lado da fronteira.

3 comentários:

Anónimo disse...

Em Espanha, concorde-se ou não com as políticas seguidas, a pessoa que está à frente tem experiência, nem que seja de vida e conhece o seu país. Aqui, estamos a ser governados por um bando de "miúdos" que nunca fez nada na vida a não ser "mandar bitaites" e do País nada conhecem...

folha seca disse...

Caro Francisco Clamote
Desculpe a "grosseirice".
Mas apetece dizer: que ainda há quem os tenha no sítio.
Abraço
Rodrigo

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

São realmente boas notícias, Francisco, mas hoje li duas notícias provenientes de França, que me deixam apreensivo.
1- Merkel e outros líderes europeus recusam receber Hollande
2- Marine Le Pen pode não conseguir recolher as assinaturas necessárias para se candidatar. A confirmar-se, será um grande trunfo para Sarkozy nas eleições de Abril
Abraço