sábado, 17 de janeiro de 2015

De facto, não faz sentido

Balsemão, militante número 1 do PSD, discursando numa iniciativa partidária, no Cadaval, afirmou que "não faz sentido entregar o poder a quem provou que não sabe governar".
Tem Balsemão toda a razão. De facto, só se os eleitores forem masoquistas é que terão a veleidade de repetir uma votação que, da última vez que foram às urnas em eleições legislativas, bem cara lhes saiu.
Por isso mesmo, também não faz sentido que o cavalheiro, na mesma ocasião, se tenha declarado confiante na vitória do seu partido nas próximas legislativas, precisamente numa altura em que, com a trapalhada à volta da privatização da TAP, ficou mais uma vez provada a incompetência do governo liderado por Passos Coelho, incompetência que consegue ultrapassar, imagine-se, a de um outro governo do PSD, o da "má moeda", então liderado por Santana Lopes, cuja incompetência se julgou, durante muitos anos, ser inultrapassável. 
Tal juízo veio, no entanto, a ser desmentido pelo actual que, em boa verdade, nem governo chega a ser, pois não passa de uma Comissão Liquidatária, às ordens da senhora Merkel e Cª. 
Tudo visto, bem se pode dizer que a confiança de Balsemão na vitória do seu partido, só faz sentido, de facto, se a lógica de Balsemão for a chamada "lógica da batata". 


1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O Balsemão sabe do que fala. Quando governou, os portugueses disseram-lhe isso mesmo nas urnas.