segunda-feira, 11 de maio de 2015

A "pesada" herança

"(...)
O PS não deve enjeitar responsabilidades passadas. Por ela pagou o afastamento do poder, muitas acusações injustas e esquecimentos oportunistas. Foi forçado a assistir à omissão de que até 2008 se recuperou crescimento e reformou a administração, a universidade e a ciência, a Educação, a Saúde e a Segurança Social. Criaram-se fileiras produtivas ligadas à energia de que agora o país colhe frutos. Investiu-se pesadamente na refinação, na indústria papeleira e na aeronáutica, que hoje ufanam os que delas descriam. Prosseguiu uma silenciosa revolução da agricultura que mudou padrões, empresários, exportação e criou a base para a auto-sustentação financeira do respectivo produto. Tal como a formação profissional, a modernização do secundário contra ventos e marés do sindicalismo de sector, abençoado pela direita. E sobretudo a formação superior com doutoramentos, projectos e parcerias internacionais que nos emparelham com o que de melhor se faz. 
(...)»
(António Correia de Campos (imagem supra): "Contra-revolução enraivecida")

3 comentários:

Anónimo disse...

Pior que a pesada Herança onde muito dinheiro andou a voar para onde não devia, é toda a novela depois das Eleições para o Parlamento Europeu, cheira a esturro, tanta sofreguidão em afastar Seguro... agora fico a pensar se eu fosse Seguro ou seu apoiante... será que tinha estômago para votar em Costa... até tinha a sua graça acabarem com o mesmo número de votos... suponho que teriam de escolher outro secretário geral lol

Majo disse...

~
~ ~ Uma crónica que deveria ser amplamente divulgada...
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
~ ~ ~ ~ ~

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Chicamigo

Ah ganda Toino!!!!!!!!!!

O "anónimo" é o mesmo do post seguinte, sem tirar nem pôr...

Abç