domingo, 18 de dezembro de 2011

Desistir é palavra de ordem

Depois do secretário de Estado da Juventude ter incentivado os jovens "a abandonarem a sua zona de conforto" e a emigrarem, vem Passos Coelho que ultimamente se tem desdobrado em entrevistas a tudo quanto é órgão de comunicação social, a aconselhar a emigração dos portugueses habilitados nas áreas das "tecnologias de informação e do conhecimento, da saúde, da educação, do ambiente e das comunicações”.
É lícito, pois, concluir que a emigração dos portugueses mais jovens e mais habilitados não é apenas uma ideia parva dum secretário de Estado parvo, mas é, afinal, a política deste governo.
Passos Coelho, pelos vistos, já desistiu dos portugueses e do país. Não se lhe ouve uma palavra de confiança. Pelo contrário, insiste em proferir afirmações como esta (O valor das reformas deverá cair cerca de 50% nos próximos vinte anos relativamente àquilo que era atribuído antes de 2007) que só contribuem para deprimir o país e os portugueses. Não percebo, pois, o que está a fazer à frente do governo de Portugal.
Se desistir do país e dos seus melhores valores é a palavra de ordem deste governo, a sobrevivência do país  e dos portugueses passa, sem dúvida, pela queda deste governo. E quanto antes, melhor.
(imagem daqui)

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Será que ele também vai aconselhar as filhas a emigra?

Arlindogarden disse...

Porra pro gajo. Por engano votei nele, mas agora enjoa-me !