terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Apanhado em contramão


"O comissário europeu dos assuntos sociais, Laszlo Andor, mostrou-se hoje muito preocupado com a emigração de jovens europeus para outras paragens, nomeando "Brasil, Angola e Moçambique", numa mensagem que parece desenhada para chocar com o apelo à emigração feito pelo primeiro-ministro português, Passos Coelho. Andor não apenas critica a perda de uma "geração inteira" como também recorda o "custo financeiro" que isso acarreta.

"Alguns jovens já estão a sair da Europa para encontrar emprego em países como os EUA, o Canadá, Austrália ou o Brasil, Angola e mesmo Moçambique dependendo da sua língua de origem", lamentou o comissário. "Esta tendência não pode continuar: não apenas arriscamos perder uma geração inteira mas também há um custo financeiro. Há, aliás, um recente estudo europeu concluiu que o fardo dos actuais níveis de desemprego para a sociedade é de cerca de dois mil milhões euros por semana ou um pouco mais de 1% do PIB da UE". E por isso, a comissão de Durão Barroso "apela de forma urgente à acção europeia mas também nacional e local" para travar esta sangria geracional."
(Notícia na íntegra, aqui. Negrito meu) 
(Conclusão: até em Bruxelas já se sabe que Passos Coelho não está apto a "conduzir".)

1 comentário:

Miguel Gomes Coelho (T.Mike) disse...

O PPC ainda vai dizer que estava a falar de imigração e não de emigração. Que foi um engano de discurso quando falou em Angola, Brasil, etc...
O que ele queria dizer era que ia refundar a Junta de Colonização Interna dos tempos salazaristas...e portanto imigrava-se cá dentro...