segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Quando assim, melhor assado

Não há um único (repito: um único) sector da vida nacional que apresente indicadores mais favoráveis do que os registados antes da entrada em funções da actual "equipa maravilha" (?) dirigida (?) por Passos Coelho. Digo o mesmo em relação a melhorias na vida das pessoas, pois estas, pasme-se, estão, pela primeira vez, desde que há registos, a ver-se obrigadas a cortar nas despesas com a alimentação.
E tão seguro estou da afirmação que até prometo alvíssaras a quem até ao dia 21 do corrente [data em que o (des)governo passista perfaz 6 meses de (des)governação] descobrir um único indicador que contrarie a  asserção.
Hoje mesmo surgiu um enxurrada de novos dados que não me deixam em mentira. Senão repare:

Bom, sabe-se que os direitolaos continuam a atirar com as culpas para cima das costas de Sócrates e quem for vivo verá que, daqui por "um século", os tolos (e, ao mesmo tempo, aldrabões) continuarão com a mesma lengalenga.. Todavia, quem não for direitolo e, neste caso, só o é quem quer, tão evidente é a mentira, é claro que não pode ir mais naquela conversa. Eu, que presumo de o não ser, entendo mesmo que já é altura de dizer: "Quando assim, melhor assado".
(reeditado) 

1 comentário:

Miguel Gomes Coelho (T.Mike) disse...

Poste muito importante, Francisco.
Um abraço.