sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Qual é a pressa?


Apesar de António Costa já ter definido, por mais de uma vez, qual o calendário e quais as várias (3) fases para apresentação das suas propostas, calendário que culminará com a apresentação do programa eleitoral do partido, raro é o dia em que não aparece um qualquer bicho careta, vestido com as cores do PSD ou do CDS a exigir que Costa apresente as suas propostas sobre tudo e mais alguma coisa. Hoje, então, foi um corropio. com vozes a reclamar explicações, dentro e fora do Parlamento, o que não deixa de ser estranho. Por duas razões. À uma, porque no Parlamento a direita no poder (por obra e graça de Cavaco e duma senhora que dá pelo nome de Aldrabice) teve hoje a oportunidade de ouvir de vários deputados (e designadamente de Ferro Rodrigues e de Vieira da Silva) algumas das ideias que o PS quer concretizar se o eleitorado o convocar a ser Governo, ideias de que, pelos vistos, a direita (PSD e CDS) não gostou, se atentarmos nas reacções vindas dessas bancadas, como se pode comprovar aqui e aqui).
Por outro lado, também não se compreende o porquê de tanta pressa por parte da direita, quando se sabe que, por vontade dos dois partidos da coligação, a realização das próximas eleições legislativas, se tal poder estivesse nas suas mãos, seria adiada, não apenas para Setembro/Outubro do próximo ano, mas sim lá mais para as calendas gregas.
Com espírito construtivo, deixo aqui uma sugestão:
Se estão assim tão interessados em conhecer em pormenor as propostas do PS e as políticas que este partido se propõe levar a cabo caso seja encarregue da governação do país, então juntem-se à multidão dos que reclamam a realização, quanto antes, das eleições legislativas. Se têm muita pressa em conhecer as propostas do PS, metam também pressa numa ida até Belém: Cavaco é duro de ouvido em relação ao clamor do povo, mas tem ouvido afinado para as ordens de Coelho. Aliás, em bom rigor, Coelho nem precisa de abrir a boca. Se Coelho lhe der a entender, por sinais, o que pretende é quanto basta para Cavaco obedecer.
(Os meus agradecimentos à Emys orbicularis, por ter aceite servir de ilustração a este texto.) 

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Costa faz muito bem em não lhes dar troco. Alguém sabe quais são as propostas dos coligados, para além da continuação da austeridade?
Além disso, de que adianta Costa responder a uns tipos que são uns cataventos e estão sempre a mudar de opinião?
O que eles querem sei eu...

Anónimo disse...

Outros , sim , têm pressa de o ver escorregar! Mas o treino já é bastante para lhe dar a paciência( sim, paciência) e serenidade. Assim seja!....
Ginja