segunda-feira, 10 de novembro de 2014

"Se conduzir, não beba"

"(...)
Já o que nós todos dispensaríamos era a triste figura que o ministro da Economia decidiu fazer, esta semana, na apreciação parlamentar do seu orçamento setorial. Pires de Lima tem todo o direito de criticar qualquer adversário político; e pode ser assertivo, implacável ou cru nessa crítica. Mas o tom chocarreiro que usou, no debate com os deputados da Oposição e na referência ao presidente da Câmara de Lisboa, ofende as regras básicas da conduta em funções públicas. Chalacear em casa, à mesa do almoço ou na quietude do gabinete, é lá com ele e com quem queira ou tenha de aturá-lo. Na Assembleia da República, não, em caso algum. E, se ocorrer um deslize (ninguém está livre disso), há que retirar consequências (por exemplo, apresentar desculpas).

Já temos, e bem, o lema: se conduzir, não beba. Precisaremos de ter o lema: se discursar, não pareça que bebeu?"
(Augusto Santos Silva; "O Orçamento e a sua discussão". Na íntegra: aqui)

3 comentários:

Majo disse...

~
~ ~ O combate eleitoral começou e o comportamento do referido ministro é uma amostra do nível que essa campanha irá atingir por parte dos partidos que agora governam coligados.

~ ~ António Costa tem pela frente até palhaços de alto gabarito!!

~ ~ ~ Uma semana simpática e acolhedora, Francisco. ~ ~ ~

Francisco Clamote disse...

Uma boa semana também para si, Majo.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Há a hipótese de não se tratar de alcoolemia, mas de doença do foro psiquiátrico...