quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Que mais nos resta ?

Até pessoas por quem tenho a maior consideração tendem a desvalorizar as greves e manifestações contra a actuação do actual Governo e contra as medidas brutais que tem vindo a tomar. Pese embora o bem fundado de algumas das justificações e razões apresentadas, o facto é que quem se situe na oposição ao actual executivo de direita não tem outra forma de expressar publicamente o seus pontos de vista e, eventualmente, a sua indignação, a não ser em casos contados, pois os media em geral são dominados pela direita (leia-se PSD) que deles faz um uso descarado para nos massacrar diariamente com as suas teses e, sobretudo, com embustes e mentiras.
Para tal concluir não é preciso realizar nenhum estudo sociológico, pois é do domínio da evidência, mas para quem tenha dúvidas pode encontrar aqui um bom exemplo do ambiente sufocante que se vive nos órgãos de comunicação social.
Assim sendo, que mais resta aos opositores ao actual estado de coisas, senão a rua, para afirmar publicamente a sua cidadania ?

2 comentários:

Otília Gradim disse...

Participar em manifestações sempre fez parte da minha forma de estar na sociedade e ser solidária.
Abraço

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Ainda agora tive uma conversa com um tipo de esquerda que está rendido aos encantos da coragem Passista. Será por isso, com toda a tranquilidade, que esta gente irá aceitar o açaime, quando for publicada uma lei de comunicação social inspirada no modelo húngaro
Abraço