quarta-feira, 7 de maio de 2014

Sem alternativa

A saída. Nem suja, nem limpa. Em verdade em verdade vos diz o Manuel Caldeira Cabral que os farsantes (termo da minha lavra) não tiveram outra alternativa, o que vale por dizer que a insistente postura de "bom aluno" cultivada por este (des)governo não conseguiu obter da senhora Merkel et al. a mínima consideração. Como seria, aliás, de esperar. De facto, quem se dá ao trabalho de respeitar quem se comporta servilmente?

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A entrevista do presidente do Eurogrupo hoje ao Expresso é elucidativa. Se a saída limpa falhar, não há cautelar para ninguém.haverá um segundo resgate...

Majo disse...

~
~ Fico grata pela partilha desta excelente crónica.
~ Esta é a verdadeira análise da periclitante situação.