quinta-feira, 7 de março de 2013

O calado é o melhor?

Pelo menos é o que Cavaco Silva veio reafirmar, depois dum prolongado silêncio de mais de um mês, convocando para o efeito a sua longa experiência como primeiro-ministro e presidente da República.
Se Cavaco Silva não tinha mais nada para dizer para justificar o seu reaparecimento público, para além da repetição do ditado popular de duvidosa justeza e da inconsequente afirmação, a propósito da última grande manifestação do 2 de Março, de que as vozes que se fizerem ouvir não podem deixar de ser escutadas, bem se pode concluir que podia continuar a "ressonar".

1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O homem tem andado a escrever o Roteiros VII, Francisco!