quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

De vitória em vitória até ao descalabro total

Pagar uma taxa juro à volta de 5% (entre 4.85% e 4,95%, segundo avançam os jornais) não parece que possa levar a que se considere como um êxito o antecipado regresso aos "mercados" para colocação de dívida pública, a 5 anos, por parte do Estado português.A afirmação parece-me tanto mais óbvia quanto é certo que a taxa de juro dos fundos concedidos pela troika e ainda não integralmente utilizados é considerada muito elevada, não obstante ser bastante inferior à agora exigida pelos "mercados".
Face ao diferencial entre as duas taxas de juro (a da troika e a exigida pelos mercados) parece-me mesmo evidente que este apressado "regresso aos mercados" só pode ter uma explicação: o governo antecipa que, lá mais para a Primavera e para o Verão, as condições do "mercado" vão ser bem menos favoráveis. E tem boas razões para assim julgar. De facto, todas as previsões, mesmo as do governo apontam no sentido de que a economia continuará a derrapar e o desemprego a aumentar.
Aliás, hoje mesmo ficou a saber-se que a dívida pública portuguesa superou, em Setembro, os 120% do PIB e que é agora a terceira maior dentro União Europeia, ultrapassando, pois, o nível a partir do qual a dívida pública é geralmente considerada como insustentável.
Este antecipado "regresso aos mercados" tal como o pedido de alargamento do prazo dos empréstimos concedidos pela troika apresentado pelo ministro Gaspar em Bruxelas, contrariando frontalmente o anterior discurso do governo (nem mais dinheiro, nem mais prazo), têm sido apresentados pelo governo e pelos partidos da maioria como sucessos atribuíveis à Comissão Liquidatária "Passos, Gaspar Portas & Cª".
Quanto a mim, trata-se, pelo contrário, de demonstrações de que a política do governo falhou redondamente, mas, provavelmente, sou eu, que não percebo nada de economia, que estou enganado. Mesmo assim temo que, com "vitórias" destas, Portugal se encaminhe, velozmente para o descalabro total.

2 comentários:

Evaristo Ferreira disse...

Caro Francisco,
De facto isto não passa de um fuguetório, mas serve muito bem a Passos Coelho e a Gaspar, duas luminárias incapazes de cumprir as metas do OE. Eles cantam vitória, mas aqui ao lado, sem ajuda da Troika, foram ontem ao mercado vender 4 mil milhões de OT e a oferta chegou aos 24 mil milhões, com preço abaixo dos 5%. O Draghi tem um bulldog à porta dos "mercados". Essa é a causa deste efeito.
Um abraço.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Esta noite a festa já começou a esmorecer. Amanhã, vai haver ressaca.