quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Quem precisa dum primeiro-ministro destes?


"Não são os Governos que criam emprego", diz Passos Coelho o que é inteiramente verdade quando reportada a afirmação à acção deste governo, porque, de facto, este não só não cria emprego, como o destrói, estando preparado para, no próximo ano, despedir, "de caras", mais 50.000 funcionários públicos, aumentando exponencialmente o número de desempregados.
Mesmo que, em tese geral, aquela afirmação fosse verdadeira, sempre teria que ser acompanhada duma outra consideração que passa pelo reconhecimento de que cabe aos Governos criar as condições para que o emprego aumente, consideração que, pelos vistos, nem sequer passa pela cabeça do actual primeiro-ministro.
Tanta imponderação e tamanha inacção na luta contra o desemprego justifica que se faça a pergunta: quem precisa dum tal primeiro-ministro?
Os patrões e os empresários? Duvido muito, porque, se a contracção da economia, fruto, em boa medida,  das opções deste governo, vai continuar a arrastar milhares e milhares de portugueses para a pobreza, a maioria dos patrões e dos empresários também sofrerão as consequências. Muito poucos, se é que alguns, ficarão incólumes.
(Imagem daqui)

2 comentários:

folha seca disse...

Caro Francisco Clamote
Ainda há pouco um secretário de Estado (presumo) se vangloriava de o numero de redução de funcionários publicos ser francamente superior ao acordado com a Troika. Era de 2 e vai atingir os 5%.
Quanto ao parágrafo final nem imagina...
Abraço
Rodrigo

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Hoje andamos muito sintonizados, Francisco !
Abraço