quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Dois fura-greves

Este :













e este:














Não questiono que assiste a qualquer deles o direito de trabalharem em dia de greve geral. No entanto, não restando dúvidas de que o trabalho de um e de outro, mais que improdutivo, é negativo, como o atestam  estes dados sobre o aumento do desemprego e sobre a queda da economia, o país (por mim, falo) agradecia que largassem os actuais locais de trabalho e que fossem trabalhar para outras bandas. Ou que fossem descansar, que a mim tanto me faz, desde que desapareçam do palco.
(Imagens daqui e daqui)

3 comentários:

Miguel disse...

Concordo que esta forma de pensar seja aplicada aos nossos dirigentes se também for aplicada aos nosss funcionarios públicos. Trabalham mal => Rua!

(Já para não falar que descarregar a responsabilidade da actual situação nos actuais dirigentes é, no mínimo, cómico)

Francisco Clamote disse...

Está no seu direito de pensar o que muito bem entender.
Tal como eu, que considero altamente cómico que haja alguém que entende(como parece ser o seu caso) que a responsabilidade da actual situação é de D. Afonso Henriques.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O Cavaco esqueceu-se que não pode fazer greve, abriu a boca e, como não estava a comer bolo rei. sai asneira