quarta-feira, 4 de março de 2015

Um governo que nos envergonha

Afinal. não era boato. O primeiro-ministro grego sempre tinha razão, ao queixar-se de estar a ser vítima da intransigência de Portugal e da Espanha, nas negociaçõe entre a Grécia e os seus parceiros do Euro, no âmbito do Eurogrupo. Na verdade. o presidente da Comissão Europeia (CE), Jean-Claude Juncker, confirmou hoje que Portugal e Espanha foram muito exigentes com a Grécia nas últimas semanas.
Como é evidente (e tal já tem sido sublinhado) a posição que Portugal tem assumido nas negociações com a Grécia, no âmbito do Eurogrupo, não corresponde aos interesses do país, mas  sim e apenas às conveniências dos partidos no poder que veriam a sua posição enfraquecida se se viesse a demonstrar que o grau de austeridade imposta pela política deste governo não era necessária. Ficava patente aos olhos de todos que o "TINA" (There Is No Alternative) não passa de uma falácia e lá se ia a justificação para a austeridade "custe o que custar" do governo de Passos Coelho, Portas, Cavaco & Cª. 
Seja como for, uma coisa é certa: o governo liderado por Passos Coelho, faz, na União Europeia, de "lacaio" dos grandes, em particular, da Alemanha, mas "arma-se" em "forte" em relação a países que, como a Grécia, passam por dificuldades. Em suma, é um governo que nos envergonha cá dentro e lá fora. A mim , pelo menos, envergonha-me. E muito.

2 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Chicamigo

Junto-me a ti. E oxalá não seja apenas mais um... Creio que não.

Abç

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Este Juncker não é muito fiável. Horas depois, já estava a suavizar a mensagem...
No entanto, parece-me óbvio que a primeira afirmação é que está correcta.