segunda-feira, 23 de março de 2015

Batota no AGIR

Se a notícia é verdadeira, a formação encabeçada por Joana Amaral Dias (na imagem) vai legalizar-se como partido, através de um "acordo" com o já existente  Partido Trabalhista Português (PTP) que, na sequência, vai mudar de nome passando a designar-se por AGIR-PTP (quiçá, por PTP-AGIR, que para o efeito tanto faz) poupando-se ao incómodo de recolher os milhares de assinaturas necessários para a sua legalização junto do Tribunal Constitucional.
Para uma formação que tem, dizem,  um programa, "centrado numa reforma do sistema político centrada nos problemas da participação popular e do combate à corrupção" era difícil encontrar melhor forma de, logo à partida, negar o núcleo central do "programa". De facto, logo ao nascer, manda às malvas a participação popular e dificilmente o "acordo" pode deixar de ser encarado como uma negociata, com toda a carga negativa que o termo contém.
Não há dúvida que o AGIR-PTP (ou PTP-AGIR) começa bem... Mal!
(notícia e imagem daqui)

3 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Depois de ter criado um partido que lhe foi roubado pelo MAS ( cisão do BE) Joana Amaral Dias arranjou uns guarda costas. Esta miúda é patética!

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Chicamigo

Começa sim senhor...

Abç picante

Graça Sampaio disse...

Mais um(a)!!! Ai Portugal, Portugal!