sexta-feira, 6 de março de 2015

"Cidadão imperfeito" ou perfeito irresponsável?

Quando escrevi estas linhas, ainda não conhecia as declarações de Passos Coelho ao semanário  SOL, aproveitadas para apresentar uma nova justificação para as dívidas que andou a acumular perante Segurança Social e o Fisco, durante anos. Em resumo, segundo Passos Coelho, as falhas ficaram a dever-se, umas vezes, a distracção, outras, a falta de dinheiro.
Mesmo fazendo o excepcional favor* de acreditar que Passos Coelho, por uma vez, fala verdade, certo é que as explicações que ele adianta não abonam nada a seu favor, pois o que tais explicações revelam é que Passos Coelho é um cidadão completamente irresponsável. De facto, só alguém sem noção das suas responsabilidades é que, por distracção, teria permitido deixar passar mais de uma década sem ter saldado as suas dívidas para com a Segurança Social. Se o não fez, por falta de dinheiro, o nível de irresponsabilidade não é menor, pois a ser verdadeira a explicação, tal significa, inequivocamente, que Passos Coelho não está sequer à altura de gerir e administrar os seus bens, por forma a evitar chegar ao ponto de não poder solver as suas obrigações para com o Estado.
Se Passos Coelho é incapaz de gerir os seus bens, como poderá ele estar à altura de ser o primeiro responsável pela gestão da res publica? Não está, seguramente, mas não estou a ver a forma de pôr termo a esta situação que, além do mais, nos envergonha perante a comunidade das nações.
Irresponsável como é, Passos Coelho não se demitirá e Cavaco, sobre quem impende, em última instância, a obrigação de velar pelo regular funcionamento das instituições, é mais que certo, atendendo aos antecedentes, que também não tomará a iniciativa de o demitir. Por irresponsabilidade de um e por cumplicidade ou incapacidade de outro, Portugal está num verdadeiro impasse. Infelizmente, de longa duração, pois só daqui a alguns meses é que o povo será chamado a dizer a última palavra. 
Hélas!
(* É mesmo um favor excepcional, porque, por regra, já não acredito numa única palavra do que ele se lembra de dizer.)

3 comentários:

Anónimo disse...

O inquilino de Belem que nunca se engana e não tem dúvidas(como se viu no caso bpn)demitir o falcatruas Coelho??Só num Estado a sério e competente,e nesse caso não seria preciso pois não teríamos nem um nem outro a bichar nosso juízo.----Contribuinte Zé

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Chicamigo

Nem um nem outro Mas como são ambos laranja não tomarão uma iniciativa que, numa remota hipótese, deveria ser exemplar.

O povo tem uma frase se que se aplica exactamente a este pobre país. Portugal está entregue aos bichos: uma lesma e um láparo.

Entretanto segundo a RTPI o Festival da canção está a ser um êxito e até a Simone é finalista. Os romanos falavam em pão e circo, mas no nosso caso pão viste-o e circo é quotidiano.

E os Portugas vão continuando - esfomeados - a bater palmas. Raio de sorte, nem a malta escapa!

Desde Goa abç

Majo disse...

~
~ ~ Um perfeito idiota!!

~ ~ Que me desculpem os diminuídos mentais sensatos.
~ ~~~~~~~~~~~~~~~~