sábado, 29 de setembro de 2012

O homem da dinamite


Já não é a primeira vez que António Borges, consultor do governo para as privatizações, lança mão do dinamite. Fê-lo ao vir declarar que era urgente a baixa de salários. Repetiu a cena com a apresentação da "boa" solução para a RTP, através da sua concessão a uma entidade privada. 
A meu ver, porém, ainda não tinha usado uma tão forte carga de dinamite como hoje, ao defender que as alterações que o Governo queria fazer à Taxa Social Única (TSU) constituíam uma medida "extremamente inteligente" e ao qualificar de "completamente ignorantes" os empresários que se manifestaram contra as alterações.
Que o homem não tem a mínima sensibilidade social está bem patente nas afirmações que tem proferido em catadupa. O que surpreende é a sua incapacidade para avaliar os efeitos das cargas de dinamite que usa.
Depois de o governo ter recuado na aplicação das referidas medidas, Borges, ao lançar esta bomba, insulta os empresários, dinamitando qualquer hipótese de o governo ainda vir a poder conseguir algum tipo de consenso com o mundo empresarial e, ao mesmo tempo, deixa Passos Coelho em muito maus lençóis. No mínimo, chama-lhe "frouxo".
Depois disto, o mais surpreendente é que Passos Coelho não despeça Borges sumariamente.
Será que Passos Coelho é suficientemente imbecil para não ver que Borges, tal como Relvas, só contribuem para denegrir ainda mais a sua imagem? Ou será que Coelho não passa dum "boneco" na mão destes dois "artistas"?Francamente, não vejo outra alternativa.
 Qual delas, a pior? Não sei, mas seja como for, certo é que nenhum dos três presta!
(Imagem daqui)

5 comentários:

Bmonteiro disse...

Todos os proxenetas têm direito à asneira,
mas alguns parece terem nascido estúpidos de todo.

Francisco Clamote disse...

Proxeneta, não sei se ele é. Presumo que não.

Bmonteiro disse...

Proxeneta político,
por supuesto.
E fino.

nascimento ribeiro disse...

Há que ter misericórdia. O homem parece doente. se não fisicamente, pelo menos psicologicamente. Não é todos os dias que um génio, como ele próprio se julga, é corrido do FMI e tem como único recurso, para se manter activo, aceitar um emprego como consultor do governo, coisa que só débeis mentais desejam.
Mas ao mesmo tempo o homem devia ser criminalizado, por ter obrigado CGD a vender por tuta e meia a CIMPOR, e assim ter ajudado a desmantelar uma grande empresa Portuguesa com peso internacional.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Não, Francisco, PPC ainda é mais imbecil do que Borges, mas esconde-se atrás daquele arzinho pedante de dandy da Porcalhota.