segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Ora, toma!

Como é evidente. O seu a seu dono. Cavaco bem escusava de ouvir esta resposta que, vindo dum simples burocrata europeu e não lhe sendo dirigida directamente, lhe assenta, no entanto, como uma luva. Bastava para tanto que tivesse algum tento na língua e noção do que diz.
É pedir muito, eu sei.

2 comentários:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Mas foi, também um sinal de cobardia da troika, que não assume as responsabilidades pelos erros...

Francisco Clamote disse...

Provavelmente, sim, mas é, no mínimo, compreensível a reacção da troika. Pois se até Cavaco andou a lançar as culpas pelos falhanços dele e do "seu" governo para cima das costas da troika!
Agora levou com o troco nas ventas. E, a meu ver, merecidamente.