quinta-feira, 24 de outubro de 2013

De novo, no pódio, pelas piores razões

Desde que este governo entrou em funções todas as subidas ao pódio se ficaram a dever a dados negativos. Desta vez, a chamada tem como pretexto o facto de a dívida pública portuguesa ter chegado aos 131.3% do PIB, no segundo trimestre deste ano, dívida que é a terceira maior na Europa.
Para já, temos, pois, um desonroso terceiro lugar. Tendo, porém, em conta a aceleração que este governo tem vindo a imprimir à subida da dívida pública (sob a batuta de Passos Coelho, Portugal é mesmo o país onde a dívida pública em percentagem do PIB mais cresceu) não tarda que o governo consiga alcandorar o país ao lugar mais alto do pódio.

1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Penso que eles andam satisfeitos, porque era precisamente isto que queriam