sexta-feira, 25 de outubro de 2013

"Não suba o sapateiro além da chinela"

O facto de o economista e   conselheiro Bento perceber tanto de direito constitucional quanto eu de lagares de azeite, não o impediu de dissertar sobre o funcionamento do Tribunal Constitucional (TC), nem se coibiu de dar conselhos sobre a forma como o TC deve exercer as suas competências.
Como não podia deixar de ser, atenta a justeza do ditado popular, saiu asneira. Felizmente, o  conselheiro Bento não esperou muito pelo correctivo mais que merecido:  aqui, pela pena de Fernanda Câncio.
E, já agora outra leitura de um texto da autoria de Manuel Esteves que se recomenda a Vítor Bento: Os irredutíveis e comunistas.

1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Como seria se 10 dos 13 juízes não tivessem sido escolhidos pelo triunvirato CDS/PSD/PS?
Esta gente não se enxerga!
PS: No post sobre a pressa do Aníbal estava a tentar ser irónico :-)
Abraço e bom fds