quinta-feira, 24 de outubro de 2013

O guião que dava um filme

Afinal e ao contrário (para não variar) do prometido ontem  por Passos Coelho, durante o debate parlamentar, o famosíssimo guião da reforma do Estado, ainda não foi  hoje que viu a luz do dia, depois de tantíssimos outros adiamentos. 
Tantos ou tão poucos que já dava para fazer um filme interessante tendo apenas em conta as variadíssimas peripécias à volta da sua elaboração e conclusão, sendo certo que, em relação a esta, ainda estou para ver quando ocorrerá.
Se me refiro apenas às peripécias, é  porque o conteúdo do guião, em si, que já coube numa folha de papel A4, como se sabe, só poderia eventualmente servir para fazer um filme rasca protagonizado por dois actores tão ou mais rascas do que o próprio filme: Passos Coelho e Paulo Portas, obviamente.
(Reeditada) 

1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A cena sobre a RE já dava um belo guião de telenovela