quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Paus-mandados

Pires de Lima, o novo ministro da Economia, o homem quer era tido pelas confederações patronais como o ministro certo no lugar certo que iria promover o crescimento de economia, confessa agora que não passa de um "soldado disciplinado e leal".
Não é difícil contrapor-lhe, considerando que as expectativas de crescimento criadas com a sua entrada no governo foram inteirinhas por água a abaixo com a apresentação da proposta de Orçamento do Estado para 2014, que ele não é mais do que os outros ministros, vice-primeiro-ministro e primeiro-ministro. São todos, sem excepção uns paus-mandados, às ordens da  troika e/ou dos credores internacionais que a troika representa . Repito: todos, sem excepção. 
(Imagem e citação daqui)