quarta-feira, 30 de outubro de 2013

O último a sair que feche a porta

Pede-se, no entanto, ao último a sair que tenha o cuidado de não deixar passar o Cavaco, o Coelho e o Portas. Estes três, pelo menos, para não irem fazer mais estragos lá fora. Para estragos já bastam os que têm feito cá dentro. Aliás, com os cortes que têm feito, cá dentro é que eles ficam bem. Se os fazem, é porque gostam e não é justo contrariá-los.

1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu prefiro esperar que a visão do Portas se confirme e em Junho Portugal viva um período igual ao de 1640. Será a altura de defenestrar os traidores.