quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Os" pobrezinhos" e os "necessitados" deste governo

Cortam-se as pensões de sobrevivência a viúvos e viúvas com rendimento mensal de 2000 euros (uns "ricaços", como é bem de ver).
Em contrapartida:

- reduz-se a taxa de IRC em 2%, beneficiando, em primeira linha, as grandes empresas, benefício que se traduz de imediato numa valorização das empresas cotadas; 

- não é renovada a sobretaxa de solidariedade em sede de IRS para quem ganhava e ganha mais de 80.000 euros anuais (sobretaxa de 2,5%) e para quem ganhava e ganha mais de 250.000 euros anuais (sobretaxa de 5%). 

Compreende-se que assim seja: Em nome da "equidade" há que privilegiar os "pobrezinhos" como os patrões do Pingo Doce, os Belmiros e Amorins e os "necessitados" como Salgado, Mexia, Ulrich e outros como os Catrogas.

Finalmente, temos um governo que leva a sério a "equidade" iniquidade.

1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

E para os beneficiários da CGA, os cortes começam nos 419,20 euros!