segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Em roda livre

Comissão Europeia, pelos vistos, já aprovou as medidas alternativas que o Governo apresentou para compensar o recuo nas mudanças na Taxa Social Única (TSU). Apresentou em Bruxelas, mas, por cá, ninguém foi havido nem achado, a começar nos partidos da oposição e a acabar nos parceiros sociais. 
Não sei por que razão este governo ainda fala em concertação social e na necessidade de um amplo consenso social. Alegadamente importante, dizem,  até para os credores, para a troika e para os parceiros europeus. Mas só alegadamente, porque na prática é só isto: um governo a avançar em roda livre a caminho de bater contra a parede. 
No mínimo, espera-se que António José Seguro tire desta actuação do governo todas as consequências e  se desmarque definitivamente desta política suicida.

3 comentários:

Evaristo Ferreira disse...

O sonso do Seguro é da mesma escola do Passos Coelho, por isso não vai barafustar. Não esqueçamos que Seguro, para se demarcar de Sócrates, continua não usar gravata rosa ou vermelha, e desde o início que prometeu fazer uma oposição com "elegância e cortesia". Não vejo como o PS pode chegar lá, com um líder mole.

Graça Sampaio disse...

E o pessoal é como o "corno" - é sempre o último a saber. Pagamos e não b*famos... Ó meu Deus!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

E já agora, Francisco, que o Seguro saiba também tornear a questão das moções de censura...
Quanto ao governo, já desistiu de governar. Tenho cada vez mais a impressão que só querem aprovar o Orçamento para depois se porem a milhas.