segunda-feira, 1 de outubro de 2012

O rebuçado que, afinal, o não é

Marcelo, que na sua "homilia" dominical bateu forte e feio em Passos Coelho, tentou no final amenizar a "coisa", louvando a decisão do governo de reduzir em 15% o preço das portagens das antigas Scut, como quem diz, toma lá um rebuçado a ver se te calas. Só que Marcelo, com a suas leituras em diagonal, não deve ter lido a "história" toda, pois não há rebuçado nenhum: o governo reduziu o preço das portagens, mas em contrapartida acabou com os descontos e isenções com base no local de residência, sendo que novo regime “é o desfecho de um processo instaurado pela Comissão Europeia a Portugal.


3 comentários:

Isa GT disse...

Rebuçados? podem parecer rebuçados, podem estar enroladinhos com papel bonito de rebuçado mas bem misturadinho... vem sempre o cianeto para poupar no açúcar ;)

Bjos

Graça Sampaio disse...

Mas este governo lá dá alguma coisa a alguém? Só se for dores de cabeça e crises de ansiedade...

Mas, atenção! Esse Marcelo não é de fiar...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Eu tenho a certeza que nem ele acreditava no que estava a dizer sobre a "bondade" das SCUT...