terça-feira, 1 de maio de 2012

Quem espera, desespera

Passos/Coelho confessa que "o desemprego está a crescer mais do que esperávamos" e está à espera "que ainda venha a aumentar pelo menos nos próximos dois meses”. 
O que não está nas intenções de Passos/Coelho é inflectir na política de austeridade "custe o que custar" que é a causa principal do desemprego galopante.
Daí o ele estar também à espera que os portugueses se acomodem a viver nos próximos anos com um desemprego superior ao que estão habituados. 
Se bem que, pelo que se tem visto até agora, razões tenha para tanta esperança, não é menos certo que quem muito espera, desespera. Chegará a sua hora, espero eu.

2 comentários:

folha seca disse...

Eu também caro Francisco Clamote.
Abraço
Rodrigo

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A insensibilidade com que ele disse "temos de estar preparados para taxas de desemprego acima da média, durante os próximos anos" deu-me vontade de lhe vomitar em cima.
Abraço