quarta-feira, 3 de julho de 2013

O naufrágio

A Bolsa de valores a cair estrondosamente e os juros da dívida pública a subir de hora a hora, são sinais evidentes de que a situação do país já não é apenas pantanosa. Para os "mercados", pelos vistos,  a situação que o país enfrenta é já a emergência de um naufrágio.
Enquanto isto, o Coelho náufrago limita-se a esbracejar e Cavaco, a quem a Constituição impõe o dever de garantir o funcionamento das instituições da República, dando-lhe os meios e os poderes para o assegurar, limita-se a observar.
Haja alguém que explique o comportamento dos dirigentes políticos a quem o povo entregou a responsabilidade de dirigir o país, sem fazer apelo ao conceito de insanidade. Haverá?

1 comentário:

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

O segundo resgate já vinha a caminho e agora Coelho tem mais um alibi para o justificar.